travelling Esta foto é sua?

10 coisas que você aprende viajando sozinho

Que viajar é bom você já sabe, não é? Conhecer lugares novos, descansar, renovar as energias, está tudo incluso no pacote viagem. Mas algumas coisas só se aprendem viajando sozinho e para falar a verdade, viajar sozinho é libertador em diversos sentidos.

1 – Ter controle sobre você mesmo

gif1

Viajando sozinho você precisa cuidar de você. Desde o momento de decidir a hora de acordar, de dormir, o que comer, o quanto beber, tomar banho, escovar dente, controlar os gastos. Isso tudo só você pode saber e escolher, portanto, você aprende a ter controle sobre você mesmo a partir das mais pequenas responsabilidades do dia a dia. Você é livre para escolher. Você pode acordar tarde, mas por isso pode perder alguma coisa que queria fazer. Você pode gastar mais em um dia, mas vai ter que saber economizar no próximo para não ficar sem dinheiro. Viajando sozinho você vai apender a trabalhar com a sua liberdade.

2 – Respeitar a liberdade do outro

liberdade

Esse aprendizado vale principalmente para quem fica em hostel. Ao dividir seu espaço com outras pessoas, você aprende a respeitar suas liberdades. Pode ser que uma delas chegue no meio da madrugada, tenha o hábito de tomar banho todos os dias de manhã ou lê alguma coisa antes de dormir com a luzinha da própria cama acesa. São coisas básicas, mas que é preciso respeitar. Diversas pessoas do mundo estão dividindo um espaço e cada um deve cuidar do seu e respeitar o alheio. Parece simples, mas nem sempre é. Você vai lidar com pessoas organizadas e bagunceiras, que falam alto ou que não gostam de conversar e vai aprender a lidar com tudo isso, percebendo que pessoas diferentes podem e precisam se respeitar.

3 – Respeitar as diferenças

giphy

Ao viajar sozinho você vai ter seus momentos de solidão, mas também vai estar rodeado por muitas pessoas que conhecer, pessoas de diferentes partes do mundo, com aparência diferente da sua e culturas diferentes das que está acostumado. Quando viajei sozinha conheci árabes, indianos, americanos, canadenses, italianos, ingleses, indonésios e muitos outros. Primeiro, você perde a necessidade de enquadrá-los em um estereótipo dado pela sociedade, pois, eles podem se mostrar muito diferente daquilo que você imagina vendo na TV ou lendo no jornal. Além disso, você aprende a lidar com suas diferenças e a respeitá-las, mesmo que não concorde. Hábito de rezar antes de comer, não comer carne, diferenças econômicas, formas de pensamento sobre determinado assunto. Se você souber encarar essas situações e estiver aberto ao novo pode ser enriquecedor conviver com tamanha diferença.

4 – Há mais pessoas boas do que você imagina

pesss

A gente lê muita notícia ruim de fatos que acontecem ao redor do mundo e quando se resolve viajar sozinho, a família é a primeira a preocupar. Minha avó preocupava se eu ia ter o que comer na Itália, pergunta o que comiam lá e tinha medo de que me sequestrassem e não me devolvessem (hahahaha). Eu sei, a gente sabe que perigos existem e é necessário cuidado. Você vai aprender isso também: a distinguir pessoas maliciosas de boas, a saber em quem acreditar e o quanto acreditar mantendo sempre seu espaço, sua individualidade, mas o mundo tem muito mais pessoas boas do que a gente imagina, basta estar aberto a conhecer de fato as pessoas que nos são apresentadas e ter a mente aberta desde o começo de que tudo dará certo. O poder do pensamento é incrível. Eu, particularmente, conheci pessoas incríveis e boas das quais tenho saudade e mantenho contato até hoje. Você vai ver que gentilezas sutis se mostram muito importante quando você está sozinho em um país desconhecido e isso lhe tornará mais gentil também.

5 – A sair da sua zona de conforto

zona

Não é preciso sair do seu país para sair da sua zona de conforto, mas quando se faz isso e sozinho, é inevitável que isso não aconteça. Não tem mamãe para fazer almoço, lavar as roupas, não tem encontro com a família dia de domingo, sua cama não será estendida sozinha, entre outros. O mundo em que você está acostumado a viver, o seu, será colocado em teste e você aprenderá a se virar e reconhecerá o valor de pequenas coisas que tem todos os dias e não dava tanta atenção.

6 – Várias portas no mundo se abrem para você

d3

Ao conhecer pessoas enquanto viaja sozinho você verá como elas podem ser calorosas (a seus modos) e receptivas. Provavelmente, você receberá diversos convites para visitar seus países e com estadia inclusa, o que é muito bom, não é mesmo? Assim, várias portas ao redor do mundo se abrem para você e o seu mundo vai se tornando cada vez maior, por isso, dizem que uma vez que você viaja sozinho, nunca mais é o mesmo. Você cresce tanto espiritual e mentalmente que o seu lugar de conforto parece não ser mais do seu tamanho, mas com a sabedoria adquirida você também aprende a importância de ter um lugar para chamar de seu, ainda que o coração tenha virado também parte do mundo.

7 – Ficar sozinho

gif2Esse aprendizado é ótimo para aquelas pessoas que têm dificuldades em lidar com um momento sozinho, com um celular que não toca, uma mensagem que não chega. Você vai ter momentos de completa solidão, o que não é sinônimo de tristeza, pois, você vai aprender a sair, divertir, escolher e ser sozinho. Isso dá uma liberdade enorme e é nesse momento que você vai aprender mais sobre você. O que você gosta de fazer, o que não suporta e aprenderá a gastar o seu tempo sozinho de forma positiva e não se entristecer quando não houver companhia por perto porque já aprendeu a ser suficiente.

8 – Falar não

nn

Pode ser que você receba convites de amigos feitos na viagem para ir a um bar, restaurante ou conhecer algum ponto turístico da viagem e se você quiser ir, ótimo, aproveite. Mas se não quiser, está tudo bem também. Basta agradecer o convite e ir fazer suas coisas. É impressionante como os estrangeiros lidam melhor com o “não” do que nós brasileiros. Ao menos eu reparei nisso. Acredito que isso se deve ao fato deles saberem respeitar a individualidade dos outros melhor que nós. Você também vai aprender a dizer “não” para pessoas nas ruas, em restaurantes, baladas e isso também é libertador.

9 – Perder o medo de falar inglês

Sendo o idioma universal, provavelmente você vai se comunicar com quem conhecer falando inglês ou uma mistura de inglês/espanhol/português/mímica, mesmo viajando para a Europa, mas o importante é que você perderá o medo de falar inglês, ainda que saia errado. Sabe por quê? Primeiro porque você precisa se comunicar e segundo porque os americanos e ingleses, em particular, admiram muito os brasileiros por eles falarem uma segunda língua, ainda que de forma incorreta, às vezes. Pois, por falaram uma língua universal, muitos deles não aprendem uma segunda língua, então eles se mostram pacientes e ajudam muito. Ninguém vai rir de você, sério. Uma coisa importante sobre a Europa: Na Itália, por exemplo, não é qualquer um que fala inglês, então entra a segunda opção dada ali em cima. Isso vale mais para os outros viajantes que você conhece. Tente aprender frases básicas do país para onde vai ou leve um caderninho, isso ajuda muito e mostra seu interesse em se comunicar com o próprio idioma deles.

10 – Lidar com idas e vindas daqueles que conhecer

189

Essa vai para os apegados. Esse aprendizado é de extrema importância para quem acredita que para estar junto é necessário estar perto ou que não sabe lidar com despedidas daqueles que se gosta e ama. Muitas pessoas vão passar por você, você vai sair e se divertir com elas, algumas vai conhecer por mais tempo, mas todas elas, inclusive você, vão embora. Então, viajar sozinho vai lhe ensinar a receber as pessoas, conhece-las, deixa-las ir e tudo bem. Algumas você nunca mais vai encontrar, com outras vai manter contato e poucas pode ser que você visite ou receba em casa. E isso é lindo. Aprender a lidar com os encontros e desencontros da vida sem se apegar a eles, evitando tristeza e frustração. Aprender a lidar com chegadas e partidas de uma forma leve e bonita, sabendo que a vida se trata disso mesmo: Uma passagem.

Fala sério? Viajar sozinho é bom demais, não é? Quem aí já está com vontade de arrumar as malas?

Qualquer dúvida que tiverem sobre o post ou sobre viajar sozinho, podem me mandar e-mail.

Comentários