10 filmes para entrar no clima da temporada Pré-Oscar em 2015 Esta foto é sua?

10 filmes para entrar no clima da temporada Pré-Oscar em 2015

Começamos a temporada pré-Oscar. O que isso quer dizer? Quer dizer que até o dia da cerimônia de premiação, estaremos rodeados de bons filmes sendo lançados de uma só vez no circuito comercial, até entrarmos num período de inércia, carente de bons lançamentos, que geralmente vai de Março a Maio. Alguns filmes não estão nessa lista porque de alguma forma já foram citados por aqui. Boyhood, por exemplo, é um dos grandes favoritos ao Oscar de melhor filme. Além desses dez filmes, é bom ficar de olho em: “Abutre”, “Selma”, “O ano mais violento”, “Sniper americano”, “ O Grande Hotel Budapeste”,”Para sempre Alice”,  “Whiplash”, “Mr Turner”.

1 – Birdman

Esse filme liderou o número de indicações na premiação do Globo de Ouro (7) e até o momento parece ser junto de Boyhood, o favorito a arrebatar o prêmio de melhor filme no Oscar. Traz uma comédia de humor negro em que um ator decadente (Michael Keaton) que por muito tempo fez sucesso interpretando um super-herói (Birdman) resolve produzir um musical sobre a própria carreira. O diretor Iñárritu está bastante cotado para vencer como melhor diretor e Keaton como ator. O filme foi extremamente aplaudido em Cannes. Tem indício melhor?

2 – A teoria de tudo

Esse longa conta a história do cosmólogo e astrofísico Stephen Hawking (que ainda está vivo) e as suas descobertas sobre o tempo, buracos-negros e teorias da gravidade. O filme aborda principalmente sua relação com uma aluna da Universidade Cambridge (vivida por Felicity Jones) e sua doença motora degenerativa. O próprio Hawking elogiou tanto o filme, quanto a atuação do ator Eddie Redmayne. O filme papou indicações para o Oscar em diversas categorias como filme, ator e atriz.

3 – Cake

Todos dizem que o ápice da carreira de Jennifer Aniston está em sua interpretação no filme “Cake”. Todas as apostas estão voltadas para Julianne Moore, que no momento é favorita disparada para levar a estatueta como melhor atriz por “Still Alice”. Aniston interpreta uma personagem transtornada e melancólica que frequenta um grupo de autoajuda para pessoas com dores crônicas. Pelo trailer já é possível ter uma ideia surpreendente da entrega da atriz à personagem, deixando a maquiagem e a vaidade de lado e adotando um tom dramático e ao mesmo tempo irônico na forma de se expressar. Independente de ter sido esquecida nas indicações, Aniston merece nossa atenção.

4 – Um santo vizinho

Bill Murray está de volta como St. Vicent, um veterano de guerra alcoólatra que tem sua rotina alterada com uma vizinha recém-divorciada (Melissa McCarthy) e seu filho. Aos poucos o homem e o menino iniciam uma grande amizade. A mãe precisa trabalhar o dia todo e o pequeno passa a ficar aos cuidados do vizinho e aos poucos, ele e o menino iniciam uma grande amizade. O filme não teve indicações ao Oscar e entrou no Globo de Ouro pela carência de comédias de qualidade entre as concorrentes de “melhor comédia/musical. Figura na ala leve de 2015, assim como Philomena fez ano passado e parece uma boa opção para quem gosta de um Bill Murray inspirado.

5 – Foxcatcher

Steve Carrel esta irreconhecível na caracterização do treinador John Du Pont feita para o filme “Foxcatcher”, não a toa foi indicado em diversas premiações como melhor ator. O longa arrebatou elogios por todos os festivais em que esteve presente e a direção chegou a ser premiada em Cannes. Fala da relação entre o treinador milionário e uma jovem promessa na luta greco-romana. Atraído por um salário bom e excelentes condições de vida, Mark Schultz (Channing Tatum) muda-se para a casa do veterano ricaço, que se mostra uma pessoa altamente agressiva. O que vemos daí pra frente, é um caminho perigoso que culmina em uma tragédia que chocou os EUA em 1996.

6 – Corações de Ferro

Filmes de Segunda Guerra Mundial, outra mania das premiações que sempre agradam a Academia, mas que em 2015 não tiveram a atenção que gostariam. A missão nesse longa é bastante nobre e ao mesmo tempo clichê:  cinco soldados norte-americanos precisam combater os nazistas em pleno território alemão. Eles são liderados por um sargento( interpretado por Brad Pitt) que precisa ensinar um calouro (Logan Lerman) a lutar. O filme foi muito bem recebido em sua estreia nos EUA, deixando inclusive “Garota exemplar” comendo poeira na arrecadação de bilheteria. Muitos consideraram as cenas bastante violentas e brutais, mas o diretor David Ayer justificou dizendo que se trata de um filme dotado de um necessário “realismo sincero”. Nas apostas para premiações parece ter perdido fôlego, mas Brad Pitt costuma escolher filmes minimamente bons para fazer.

7 – Vício Inerente

Paul Thomas Anderson é um cineasta que se demora em realizar seus filmes, mas a recompensa é boa: eles geralmente são obras-primas. Nesse drama criminal, a outra grande notícia é a presença do cada vez mais fantástico Joaquin Phoenix interprendo um detetive maconheiro em busca de uma ex-namorada. O filme se passa em Los Angeles nos anos 70. Foi esquecido pela Academia, mas como a gente sabe o mundo não é justo, muito menos o Oscar.

8 – Invencível

O segundo longa dirigido pela musa Angelina Jolie é emocionante e ao mesmo tempo bastante tenso. É visível o apuro técnico e a carga dramatúrgica depositada no projeto, amortecido por nada menos do que os irmãos Cohen que adaptaram o roteiro. O filme é uma adaptação de um Best-Seller que vendeu 3,5 milhões de cópias pelo mundo e ficou durante 145 semanas na lista dos mais vendidos do “The New York times”. Conta a história real de um atleta que sofre um acidente aéreo e fica durante 47 dias no mar até conseguir achar terra firme e ser capturado por soldados japoneses durante a Segunda Guerra Mundial.  Morreu na praia na corrida por indicações, e dizem que Jolie ficou extremamente desapontada com isso. Mas, se eu fosse você, veria mesmo assim.

9 – Pride

Nos últimos anos o cinema Queer vem conquistando representações significativas nas principais premiações. A sinopse de “Pride” parece empolgante uma vez que trata do ativismo de uma forma inusitada, colocando um grupo de militantes gays do Reino Unido a serviço de uma associação de mineiros que passa por problemas financeiros. Retrata a união de dois grupos sem nenhuma afinidade em comum, motivada por uma causa maior. Concorreu ao Globo de Ouro em comédia/musical e parece uma obra cheia de momentos divertidos e emocionantes.

10 – O jogo da imitação

Daqueles filmes biográficos que a Academia adora e que já fez bastante fama no festival de Toronto 2014. Conta a história de um cientista que contribuiu para diversos avanços na matemática e na tecnologia estratégica dos EUA na Segunda Guerra Mundial. O filme também trata dos conflitos de sexualidade de Alan Tuning que culminaram em seu suicídio. É aquele tipo de filme que recebe muitas indicações, mas ao que tudo indica, deve sair de mãos abanando.

E aaaaí, qual a sugestão de vocês?

Comentários