Esta foto é sua?

4 coisas que aprendemos com “Stranger Things”

Primeiro, gostaria de dizer que fico muito chateada de esperar um ano para ver a segunda temporada e assistir os nove episódios em dois dias. Assim não dá, de verdade, gente.

Mas, a gente assiste rápido assim porque, além de ser uma das séries do momento, “Stranger Things” é viciante e, apesar do enrendo assustador e geek, os personagens nos ensinam muita, muita coisa.

1 – “Friends don’t lie”. (Amigos não mentem)

Para mim, essa é a fala mais marcante tanto da primeira quanto da segunda temporada. O grupo de amigos (nem sei de quem eu gosto mais), ensina pra gente que amigos não mentem um para o outro, nunca. É um código a ser seguido e, olha, tem muito “amigo” por aí precisando aprender esse código, não é mesmo?

2 – É importante ter alguém que acredite em você

Isso vale para qualquer aspecto da vida. É importante ter alguém que acredite no que dizemos, sentimos, nos nossos sonhos, nas nossas loucuras. Alguém em quem a gente possa confiar e que seja recíproco. Alguém com quem possamos conversar sobre qualquer coisa sem medo de ser julgado ou mal interpretado do outro lado.

3 – Enfrentar os medos é necessário

A segunda temporada mostrou isso ainda melhor do que a primeira. Conseguimos acompanhar a evolução da Eleven, ela encarando o seu passado e o usando como força para agir no presente. Além dela, temos Will que, sem spoilers, resolve encarar de frente o que o assusta. Mesmo que as coisas não saiam como o esperado, mesmo que o caminho seja difícil, encarar o medo é necessário para a superação e resolução do problema.

4 – A sua diferença é o que te faz único(a)

Nem tem só um exemplo específico para usar aqui, né? A maioria dos personagens de “Stranger Things” nos mostra, exatamente, que o que cada um tem de diferente é a arma secreta para ser único. Eleven, Dustin, Mike, Will, Jonathan, Nancy, Joyce, enfim, vários deles tentam nos passar através de seus personagens e suas falas: “Seja você. Não tenha medo ou vergonha de ser exatamente como você é”.

Bom, esses são só alguns dos ensinamentos que a série oferece. E, fala sério, que elenco sensacional, hein?! Agora é segurar a ansiedade até o lançamento da terceira temporada porque, ao que tudo indica, estamos longe de nos livrarmos do “mundo invertido”. Eita. O que vem por aí?

Comentários