Esta foto é sua?

6 motivos para começar a maratona de Santa Clarita Diet

Com o fim de semana chegando, sobra aquele tempinho para começar uma maratona nova – principalmente se você não é muito fã de Carnaval. Outro dia, comecei a assistir Santa Clarita Diet e foi amor à primeira… Mordida? Enfim, confesso que enrolei um pouco antes de me render, mas isso só aconteceu porque tudo o que eu tinha ouvido é que era uma comédia romântica com zumbis.

E como minha relação com filmes que tentaram o mesmo não é muito boa (tipo aquele em que o Nicholas Hoult ~magicamente volta a ser humano por causa do amor), rolou aquele pezinho atrás. Pois bem. Para isso não acontecer com você também, explico em seis motivos por que você deveria dar uma chance à série.

Mas, se eu não te convencer, quem sabe o Fábio Jr. não consegue? Hahahah

Pois é, o clipe especial saiu esses dias para a divulgação da série e “morrendo de vontade de você” nunca teve um sentido tão literal, não é mesmo?

Enfim, vamos lá:

1 – A série marca a volta da Drew Barrymore

Oi, sumida! Duvido que você não tenha assistido “Como se fosse a primeira vez” ou “Nunca Fui Beijada” mais de uma vez por causa dela. Drew também sempre foi minha Pantera preferida e tem um humor próprio, sem precisar apelar. Na série, passa por uma transformação enorme e agrada pela espontaneidade.

2 – Dá para assistir um episódio entre uma tarefa e outra

Saí de maratonas de The OA e Gotham, ambos com episódio que, chutando por cima, duravam uns quarenta ou cinqüenta minutos cada. Então é até um alívio encontrar uma série curtinha assim, que você pode intercalar com as tarefas porque só dura trinta minutinhos.

3 – É uma abordagem diferente sobre zumbis

Enquanto The Walking Dead nos traz os zumbis “clássicos” e as comédias românticas tentam “floreá-los”, buscando seu lado humano, Santa Clarita Diet busca um meio termo. Tem partes bem gore, com litros e litros de sangue, mas outras bem fofinhas, com a personagem da Drew lutando pra manter seu lado humano e a família unida.

4 – O roteiro é divertido e (quase?) leve

Com direito a piadinhas de duplo sentido sobre a nova natureza da Sheila (essa é a personagem da Drew). Estava conversando com uns amigos e é bem a conclusão que tiramos: num primeiro momento, você pode até assustar com o gore (principalmente para quem não tá acostumado), causa aquela estranheza e um pouco de nojinho, depois você se apega e quer saber o que acontece. Ah, ponto pras legendas também que conseguiram manter o espírito das brincadeiras sem ficar forçado.

5 – Todo o elenco de apoio

A gente falou da Drew, que é a principal, mas seria injustiça não citar os outros atores. Timothy Olyphant, que faz seu marido, é tão bom quanto. E ainda encontramos participações como a de Portia de Rossi (Arrested Development) e Nathan Fillion (Castle).

6 – No fim das contas, é uma série sobre amor e família…

…Mesmo que, sei lá, eles se juntem pra matar alguém e conseguir comida. Ou a Sheila tenha que segurar seus instintos para não acabar comendo alguém vivo… sabe, literalmente. E é uma comédia, então dá aquela desestressada.

Vocês já assistiram? Tentei dar uma segurada nos spoilers, mas já tô louca pra comentar com alguém sobre!

Comentários