Esta foto é sua?

6 motivos para se empolgar com a estreia de Altered Carbon

A Netflix anda acertando série atrás de série, já reparou? Teve Dynasty, The Good Place, La Casa de Papel, The End Of The Fucking World… E agora sua empreitada com Altered Carbon, série futurista que estreia hoje!

A história toda se passa daqui a 3000 anos, acompanhando o personagem de Joel Kinnaman. Ele acorda depois de passar 250 anos no gelo, percebendo logo que ganhou um novo corpo e novas habilidades.

Nesse mundo distópico, a consciência humana pode ser armazenada em implantes digitais, permitindo que a pessoa possa viver para sempre, pulando para corpos diferentes.

E se a premissa pareceu boa, segura que trouxe mais alguns motivos para você se jogar nessa maratona:

1 – É da mesma responsável por “Ilha do Medo” e “Avatar”

Laeta Kalogridis é incrível e se divide entre o roteiro e a produção de seus filmes e séries. Em “Avatar”, ela foi produtora executiva, mas brilhou mesmo com a “Ilha do Medo”, aquele filme em que o Leo DiCaprio vai parar num sanatório dentro de uma ilha, sabe?

Nesse, ela ficou responsável pelo roteiro e pela produção. Acho que isso já dá um gostinho do que podemos esperar do thriller sci-fi, né?

2 – Falando nisso, o visual é incrível

Essa é a primeira série cyberpunk da Netflix e um dos maiores investimentos da plataforma de streaming, logo ali com Sense8. Só espero que eles não acabem cancelando também sem dar muita satisfação, né?
Todo o universo criado parece rico em detalhes, lembrando bastante Blade Runner e Ghost In The Shell.

3 – É um clássico de assassinato, mas com aquele plot twist logo de cara

Logo que você bate o olho no trailer, é impossível não prestar atenção no visual da série, mas repara bem na história: é aquele clássico em que alguém é assassinato, tem traição e amor no meio.
Mas é a própria vítima que vai atrás do personagem do Joel para ele investigar a causa – e nem é em forma de fantasma, viu?!

4 Tiraram o Joel Kinnaman daquele estereótipo dos últimos filmes

Amém! Se você não reconheceu de nome, vou te ajudar a lembrar quem é o Joel. Talvez você lembre dele em “Esquadrão Suicida”, em que ele fez o soldado bombado. Também estava em RoboCop, mais ou menos no mesmo tipo de personagem.
Em “The Killing”, sua atuação foi bem mais interessante no papel do policial junkie Stephen Holder. Aliás, a série toda era mais interessante que os dois filmes hahaha
Parece que “Altered Carbon” também dá mais espaço para ele atuar, visto que o personagem é um anti-herói nada típico, trazendo seus questionamentos sobre fé e morte com um humor mais sarcástico.

5 – Miguel Sapochnik dirigiu o piloto da série

Who? Você pode não estar familiarizado com o nome (eu também não tava), mas ele foi a mente brilhante por trás de muitos dos episódios mais chocantes de Game of Thrones. Agora sim!

Com uns Emmys na prateleira, pode jogar em sua conta a Batalha dos Bastardos e o último episódio da sexta temporada.

Depois não vai dizer que a gente não avisou que a série seria pesada. Detalhe: a censura é 18 anos e a gente não sabe muito bem como vai ser esse controle da Netflix.

6 – A série vai preencher o vazio deixado por Black Mirror

Também correu fazer a maratona de Black Mirror e agora tá órfão de ficção científica? Então, Altered Carbon tá aí para preencher esse vazio.


Aliás, vale ficar de olho porque ainda esse mês sai também “Mute”, filme dirigido por Duncan Jones que segue a mesma estética inspirada por Blade Runner e conta com Alexander Skarsgard no papel principal.

Parece que opção é o que não vai faltar agora em fevereiro, hein? O que você pretende assistir esse mês?

Comentários