A difícil missão de encontrar a tampa da sua panela

Neto Alvespor Neto Alves

Passamos boa parte do tempo procurando a nossa tampa perdida; aquela pessoa que vai chegar de repente e se encaixar como se tivesse sido feita para você. Alguém que goste das mesmas músicas, que tenha lido os mesmos livros, que tenha amigos em comum – se possível… enfim, que seja uma pessoa pronta para se acomodar na vida que você já está acostumado a levar.

O que acontece é que, na verdade, este é um dos principais motivos de tantas panelas ainda estarem vagando abertas por aí.

A tampa da sua panela não precisa ser exatamente do mesmo tamanho seu. Sabe quando a sua mãe pede para você tampar aquela panela de arroz, e você pega uma tampa menor e vai se apoiando nas beiradas até tampar uma boa parte? É isso. Com as pessoas que estão dispostas a oferecer amor, acontece exatamente a mesma coisa.

Pode ser que você não encontre alguém com os mesmos gostos musicais que o seu, que assista as mesmas séries, ou que tenha lido os mesmos livros… Mas também pode ser que você encontre alguém disposto a conhecer esse seu mundo, e a te mostar que o mundo dela também tem coisas bonitas que você ainda não conhece.

Não é estranho não ser do mesmo tamanho. Estranho é não querer se encaixar.

Lembre-se do caso da sua mãe; ela não te xingou por você ter usado uma tampa menor. O arroz ficou pronto, você almoçou, e todo mundo saiu feliz.

Às vezes, esperar tanto pela tampa exata, irá fazer com que você passe a vida inteira com fome de amor.

Comentar sobre A difícil missão de encontrar a tampa da sua panela