p-math08 Esta foto é sua?

A verdade é que eu ainda penso na gente

Ensaiei algumas vezes te enviar uma mensagem aleatória, chamar para conversar com qualquer assunto bobo só para saber como você está. A verdade é que eu ainda penso na gente. Para ser sincero, ainda não te esqueci por completo. Ainda não te tirei totalmente da minha vida. Sempre que tenho certeza de que sim, acho uma lembrança tua espalhada pelo chão do coração, estampada nas paredes dele, em alguma fotografia ou letra de música.

O pior mesmo nem é me lembrar de você. O pior nem é ter a cara de pau de assumir isso para mim mesmo, para o espelho ou para qualquer outra pessoa. A pior parte dessa história é saber que a gente não daria certo junto. A gente sai até faísca quando se aproxima, mas talvez esse seja justamente o problema – a gente se choca. A gente não se abraça. Nossos corpos se repelem na mesma proporção que se atraem. É um campo magnético que não nos permite colidir. Ficamos ali, um na órbita do outro.

Engraçado é saber que a saudade de você, hoje, já não dói mais. Engraçado não, é louco mesmo perceber isso. Já consigo tocar a minha vida. Já consigo sair, conhecer outras pessoas, viver uma vida normal, mas, em certos momentos, lembrar de você. Uma lembrança que não dói. Que já cicatrizou, mas deixou uma marquinha ali, só para me relembrar, sempre que achar que esqueci, que você existe.

Tenho certeza absoluta que o amor também acaba. Digo isso por experiência própria. Mas, às vezes, percebo que paixões como a nossa nunca vão morrer totalmente. Vão sempre coexistir. Vão sempre ter vida própria. É como se a vida da gente fosse a Terra que, por mais que gire em torno de uma estrela muito maior que aqueça, de fato, o coração, como o sol, sempre vai ter uma lua à deriva pronta para um eclipse, uma mensagem aleatória, uma conversa disfarçada em meio a qualquer assunto bobo só para saber como você está. Espero que bem. Mas não tão bem a ponto de esquecer que eu também estou aqui. Que eu vou sempre existir na nossa história.

Comentários