Esta foto é sua?

Arrependa-se

Às vezes, eu queria ser como essas pessoas que não se arrependem de nada. Que olham pra toda a sua história e se sentem incapazes de mudar qualquer coisa sob o pretexto de “eu não teria chegado até aqui se não tivesse cometido esses erros”. É lindo na teoria. É um máximo. É digno da mãe abraçar e ficar com olhos cheios d’água dizendo: esse é meu filho! Eu criei alguém decente!

Como se ter orgulho de sua ilibada trajetória fosse o suficiente.

Todo nós temos algum deslize cometido. Alguma falha. Algo que em nada acrescentou a nossa caminhada. Eu mesmo olho pra minha e vejo diversas coisas que poderia ter feito diferente. E nem por causa disso eu acho que seria outro. Seria o mesmo, mas sem aquela lembrança a machucar a minha memória. Eu me arrependo, sim, de algumas coisas, mas não me martirizo.

Acho que essa é a diferença básica e onde o meu conselho entra nesse texto. Arrependa-se. Mas arrependa-se mesmo e com vontade. Arrependa-se de algo feito, de uma noite mal aproveitada, de um beijo não dado (ou dado), de um comentário mal colocado, de uma atitude egoísta. Arrependa-se e transforme o que tinha tudo para ser algo ruim em revelador. Faça desse desejo em mudar algo a sua ação em mudar o futuro.

Aqui, talvez, você queira baixar um pouco a minha bola e dizer que nem é tão revolucionário assim o que eu estou dizendo. Afinal, quem nunca usou os seus próprios tropeços para recomeçar e tê-los como lição? A diferença consiste em assumir a culpa, admitir que estava errado e não apenas conseguir agir de modo diferente numa outra ocasião.

A questão é saber olhar melhor por onde se anda.

Costumo dizer, então, que nada é tão nosso quanto os nossos erros e, te garanto, que nada é tão eficiente para um futuro quanto um arrependimento no passado. Sigo aqui uma das melhores definições que o dicionário dá ao verbo: salvar-se. “Arrepender-se” não é apenas um verbo que exprime algo negativo, mas que tem o poder te recolocar no eixo e clarificar o que foi vivido para poder se seguir em paz.

E pode ser que por isso eu repita que, às vezes, eu queria ser como essas pessoas que não se arrependem de nada. Eu me arrependo e, sim, acho que venho salvando meu futuro cada vez que percebo bem antes as chances que não posso desperdiçar, as pessoas que quero ter pra sempre, os dias que preciso aproveitar. O resto é história.

Comentários