Esta foto é sua?

Como superar o fim de um relacionamento?

“Eu nunca vou esquecê-lo? Eu ainda gosto dele, o que eu faço?”

Até agora falamos de conquistas e momentos bons mas todo bônus tem o seu ônus e eu estou aqui para tentar fazer esse ônus ser o menor possível.

Antes de começarmos quero deixar claro que existem vários motivos para um término, mas de qualquer forma tentarei ser o mais genérico possível.

Você passa dois, cinco ou até dez anos ao lado de alguém todo o santo dia, conversando, convivendo, dividindo expectativas e sonhando, até que chega um dia e simplesmente acaba. Acaba o interesse, o tesão e o amor de uma das partes.

E agora, a outra parte faz o que?

Aprende a viver, bota seus planos estagnados em prática e se organiza para começar a sua jornada de aprender a viver sozinho. Dentro disso tem uma coisa que eu posso lhe garantir, quando você parar de depender dos outros para fazer o que você quer, você se sentirá outra pessoa.

Para esquecer alguém você precisa passar por um ciclo de saudade, raiva, ciúmes, carinho, tristeza e afins. E sabe qual é o mais importante deles? A raiva. Pode até parecer estranho, mas ela que te faz crescer, dar a volta por cima e mostrar que isso acontece com todo mundo e você é só mais uma. Não digo uma raiva “negativa”, mas sim uma raiva que te encoraja, algo meio que “Foda-se, vou viver a minha vida e pronto”.

Você vai sofrer bastante, mas passa, sempre passa. Sabe, sou da premissa que você tem que sofrer tudo de uma vez e não tentar ficar se enganando ou achando que tem volta o que de fato não tem volta. No começo será ruim, mas um dia você vai rir de tudo isso e lembrar como você era bobinha. E depois de um tempo vai perceber que tudo isso foi necessário para hoje você ser mais forte, segura e principalmente madura.

Se for para terminar, termine direito. Sem contatos, sem telefonemas, sem mensagens de saudade, sem nada.

Não espere por ninguém. Acredito que isso sirva para âmbito geral, tanto no trabalho quanto na vida afetivo-amorosa, faça o seu, só dependa de você, pois se for depender dos outros, você poderá ficar na mão. Entendo que isso possa ser um pouco “frio”, mas vamos ser realistas, nós não somos os príncipes da Disney, nem vocês as atrizes pornôs do Xvídeos. (desculpa, mas é verdade)

Substituir, essa é palavra-chave. Na maioria das vezes você só vai conseguir esquecer uma história escrevendo outra. Depois de um tempo você descobrirá que todo mundo é substituível. E depois de mais um tempinho você já estará vendo como foi bom ter terminado aquele relacionamento e ter “se encontrado” novamente.

Dizem que você só conhece com quem está ficando quando termina. Então vou dizer que não existe coisa mais bonita do que você terminar um relacionamento e falar para todos os outros que foi ótimo enquanto durou e pronto. Você não precisa dar detalhes da sua vida pessoal e falar sobre o que vocês viveram juntos, aqueles momentos foram só de vocês e devem morrer ali, e isso para mim é o suprassumo da educação, maturidade e respeito por quem esteve ao seu lado por todo esse tempo.

Lembre-se que agora isso tudo talvez não se encaixe a você, mas eu sei que um dia você vai voltar aqui e ler esse texto de novo.

Para finalizar:

“Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.” Oscar Wilde.

Comentários