Esta foto é sua?

Detalhes da vida

Antes de começarmos o texto, veja com atenção a esse clip (adoro essa música, não que importe, mas…):

Me sinto totalmente representado por esse clip, o meu jeito de ser, de levar a vida e principalmente de agir perante ela.

As duas coisas que mais gosto na vida são: mulheres e a vida em si.

Mas não digo mulheres pela clara obviedade, mas sim por toda essência, detalhes, gestos, personalidade, diferenças e afins. Na real admiro o ser humano por inteiro. Cada mulher tem um sorriso, uma história, uma fragilidade, uma mágoa e às vezes nem sei expressar como tudo isso é gostoso e interessante pra mim.

Um trecho da música diz:

“Bela como uma manhã de água cristalina
como uma janela que ilumina a almofada
quente como um pão ou a sombra de um pinheiro…”

Detalhes, é isso. Sabe aquela sensação gostosa de caminhar num sábado de sol com seu cachorro (mesmo que ele tenha atitudes de um tamanduá feito o meu) e achar a felicidade nesse momento “bobo”? Então, é como eu sempre digo: a felicidade está onde eu quero que esteja.

Se as pessoas soubessem se curtir não teriam tanto que alardear a sua carência em plena rede social. O problema é que as pessoas estão procurando alguém que complete sua vida nas rede sociais e não no dia-a-dia.

Hoje vejo como os pequenos detalhes fazem toda diferença num cotidiano repleto de rotinas. Esses dias estava no mercado e enquanto passava as minhas miseras compras fiquei observando a atendente, bonita, e por algum motivo que ainda não sei falei o seguinte:

“Sabia que eu achei o teu sorriso super charmoso?”

Longe de ser uma cantada, era um elogio. Ela me olhou com aquela cara de quem vira a cabeça 45º e dá um sorriso e disse: “Obrigado, o seu também”. Naquele instante percebi a importância da troca de sorrisos, de elogios esporádicos ou qualquer coisa que possa agregar um sorriso a mais num dia banal de uma pessoa qualquer.

Eu como homem fiquei feliz por ter tido “astúcia” de ter falado aquilo, como ela também deve ter ficado feliz pelo elogio. Simples, um momento que acabou ali, mas que gerou um sorriso sincero para cada lado.

Gosto dessa “cara de pau” sadia que ele traz no clip. Trabalha toda uma questão de que para ser feliz é necessário ser um pouco bobo e autêntico. Mesmo de terno, mochila e comendo uma maça, ele mostra que a “beleza” está na carisma, nos pequenos gestos, no charme e todos esses pequenos agregadores de uma personalidade que necessariamente não necessita de dinheiro, beleza e derivados.

Sei que às vezes isso pode destoar um pouco da nossa realidade, mas no fundo é isso que faz a diferença, só falta as pessoas perceberem. Até porque na maioria das vezes as pessoas mais interessantes, são aquelas que só eu acho interessante.

No fundo esse clipe me representa bastante, pra falar bem a verdade acho que ele passa quase tudo o que eu tento passar aqui. Simplicidade, uma felicidade “boba” e o mais importante: sorrisos sinceros, contidos, espontâneos, tolos, delicados, fortes, contagiantes…

Comentários