Eu não tenho amigos

Queria começar dizendo que não tenho amigos. Conhecidos, talvez, mas, a partir do momento que você precisa de um ouvido para gritar e não existe nenhum sequer disponível, acho que já se pode ter essa ausência como parâmetro para a falta de amizades. Como falta de ombros, de colo. A gente, às vezes, precisa aceitar as coisas mais doloridas para que elas, finalmente, comecem a sarar.

Durante a minha vida toda sempre estive cercado de muita gente. Quando digo muita, não me refiro a duas ou três pessoas. Sempre tive dezenas de pessoas por perto. Olhando mais perto ainda, agora consigo perceber que quase todas elas não passaram de colegas, companheiros, pessoas que não tinham nenhum laço duradouro, tampouco compromisso de se manter próximas a mim o tempo todo. Só por momentos. Principalmente os felizes.

Acontece que os dias andam tão confusos, não é? Para você também? Para mim, os dias têm se atropelado. Tenho me perdido facilmente entre tudo aquilo que quero e me afogado nas lágrimas que escorrem por tudo aquilo que não posso ter. O principal problema nisso tudo é que quando busco alguém, qualquer número na agenda que seja, para qualquer desabafo, eles desaparecem. Variam entre – ocupados demais ou desinteressados demais.

Ilógico é perceber que eu sempre estive e, assustadoramente, estou disponível. Cansei de dormir de madrugada oferecendo conselhos, mudar a rota do meu percurso para fazer favores ou guardar as minhas próprias dores no bolso para curar feridas alheias. Eu sempre me doei demais. Eu sempre fui companheiro, cúmplice, amigo demais. Eu sempre fui amigo das pessoas que só posso considerar colegas. Conhecidos. Às vezes, desconhecidos por completo.

Nessa de estar sempre pronto para qualquer emergência, fui tendo algumas urgências, principalmente de dois ou três encontros, uma ligação, cinco copos de cerveja ou qualquer outro drink barato que ajude a diluir os gelos da vida, mas, no lugar disso, só encontrei números. Uma agenda repleta de contatos. É. É triste perceber que a sua lista de amigos se transformou numa listas de contatos.

Nessa de tentar eu mesmo me virar com os meus problemas, fui vomitando alguns nas palavras que rabisco, nos filmes que vejo, nos livros que leio. Fui gritando outros através das músicas que transformo em playlists. Compensando a falta de algumas pessoas com atividades do cotidiano ou travesseiros na cama.

Tentei entender, buscar uma justificativa para sanar esse problema de ser amigo dos meus colegas, mas, no fim das contas, percebi que nós somos pessoas extremamente diferentes. Ou melhor, eu sei me moldar para caber nas suas realidades, mas eles… Olha, eles não conseguem me entender, me aceitar, não conseguem me abraçar por inteiro. Ou não tentam. Não retribuem os mesmos esforços que eu faço. E não. Eu não estou cobrando. Não estou pedindo. Estou só… Observando. De fora. Como alguém que ficou excluído das últimas reuniões, dos últimos encontros.

Não vou mentir que não dá para suportar. Dá sim. Na maior parte do tempo é até tranquilo. Mas, às vezes, nossa, às vezes chego a sangrar por isso. Mas faço do meu quarto, meu mundo. Acho que não dá para se ter tudo. Eu não tenho amigos, ou não tenho os amigos que gostaria, ou não tenho amigos quando gostaria, mas tenho a minha própria companhia. Tudo isso me ajuda a encontrar quem eu sou. Vamos terminar com essa lição de moral, que é para suavizar as coisas.

Comentar sobre Eu não tenho amigos

18 comentários abaixo sobre Eu não tenho amigos

  • Fernando Borges disse:

    Amigo só Deus o resto é só interesseiros oportunistas porqueira.a humana mente falando amigo são várias nota de cem no bolso.

  • Woone disse:

    Eu sou igual… Muitas pessoas acham que tenho depressão, é estranho quando paro pra ver onde estou, eu não tenho ninguém é um pouco assustador, eu me sinto só sinhá numa multidão de desconhecidos tão conhecidos…

  • Jurandir disse:

    Eu sou daqueles que pensam que amizade verdadeira só se constrói na infância, pela vontade de compartilhar coisas ou interesses em comum só pela alegria de compartilhar. Depois de adulto só se tem colegas e conhecidos, que se aproximam por algum interesse pessoal, como pelo emprego que você tem, o dinheiro que você gasta em festas, as pessoas que você conhece. E você sabe que não são seus amigos quando você está em situação emocional difícil, por exemplo, e todo mundo some.

  • San disse:

    Acontece exatamente o mesmo comigo.
    Amigos??? Isso não existe na minha vida! Nunca existiu. Só gente que se aproxima quando precisa de alguém para desabafar, ouvir seus problemas ou quando posso oferecer algum benefício. Pessoas egoístas e interesseiras. E eu sempre e estou ali, como a melhor amiga, ajudando como posso. Mas, quando sou eu que estou precisando, eles somem! Mas, decidi que vou ser com eles exatamente como são comigo e só dar minha amizade e lealdade a quem também puder me oferecer o mesmo.

  • Becaaa disse:

    É uma realidade triste, tbm estou sozinha, mas quem sabe um dia as coisas melhorem e consigamos encontrar aquelas pessoas pelas quais vale a pena lutar e que merecem nosso amor por nos amarem tbm, Quem sabe né ? Eu espero que vc encontre, saiba que estou agora msm me sentindo triste pela sua dor e de todas as pessoas infelizes no mundo.

  • Fernanda disse:

    É muito ruim mesmo nunca tivi amigos na verdade tivi colegas de escola até hoje não tenho uma pessoa que posso dizer essa é minha amiga As pessoas mim olhar de caras estranhas tem pessoas que se eu chegar ir elas tiver com alguma amigas delas ela Nei sequer ligar que eu estou lá mim sinto muito sozinha as vezes choro muito por não ter um amigo de verdade

  • milena disse:

    Ola

  • Cris disse:

    Como vc bem disse: na maior parte do tempo, ok, mas qdo surge uma dor cujo peso precisa ser partilhado, dá desespero de olhar ao redor e não ter um ser humano que lhe acolha. Da última vez q senti isso, ao não encontrar outro ser humano, me lembrei do meu mestre Jesus, o único com quem posso contar integralmente e que literalmente me suporta. Aos ateus, sugiro procurarem em sua mente sua persona forte para ser amparado.

  • Lucas disse:

    Eu tive uma vida social perfeita até os 11 anos de idade. Tinha amigos, era bem aceito nos ciclos sociais. Mas até a quinta série eu estudei no turno da tarde. No ano seguinte, na sexta série, tudo mudou. Agora no recreio, não tinha mais crianças, agora eram todos adolescentes. Aquela inocência de criança acabou, agora era a malícia de adolescentes. Acabou que eu não me encaxei nesse ambiente, não consegui ser popular, e nunca mais fiz amigos.
    Já fazem 12 anos que sofro de exclusão social. Tenho alguns contatos para conversar as vezes, mas amigos, nunca mais tive. O que mudou foi minha forma de ver e encarar as coisas.

  • Olivia disse:

    Eu sempre fiz o que pude pelos amigos. Hoje estou passando por um momento muito difícil, não tenho família e os amigos sumiram. Estamos perto das festas de final de ano e eu estou arrasada, muito triste e angustiada.

    • Beatriz disse:

      Olivia, existe um Deus capaz de suprir todas as suas necessidades. Ele pode ser seu melhor amigo e companheiro e nunca vai te desamparar!
      Você nunca está sozinha, pq Ele está sempre ao seu lado! Mesmo você não o vendo, Ele está ali!
      Espero que o amor de Deus possa preencher esse vazio!
      Ele te ama muito e quer te ver bem !
      Bom fim de ano para você!
      Fique com Deus

    • Juliana disse:

      Me identifiquei bastante com o post. Não tenho amigos e os poucos que pensei que tivesse mudaram cmg. Fico me perguntando se foi pq deixei de ser mais besta para as pessoas ( passei a enxergar a falsidade ) ou se é mesmo pq a humanidade está perdida, só pensando em TER e não SER de fato um ser humano. Até o sono eu perco pensando em como nesse aspecto tudo mudou pra mim, apesar de eu mesma ter me afastado de tantas pessoas por pensar: pra que tá ao lado de fulano se sei que fala mal de mim, que me “engole” !!? Por tantas decepcões já passei que aos poucos fui elimando essas pessoas da minha vida. Cansei de da a cara a bater, de ser tratada com ” amor ” só pela frente e por trás só falar mal. Espero que todos aqui consigam superar isso e que encontrem pessoas íntegras, leais e que possam compartilhar suas felicidades e tristezas. Pq ficar sozinho ( pra mim ) é muito triste.

  • Henrique disse:

    Eu estou na mesma situação, não tenho ninguém com quem posso desabafar. Estou sempre sozinho, apesar de ser convidado a ir a festas e afins, acabo ficando deslocado e não curtindo. No momento que preciso falar com alguém não encontro ninguém em quem eu possa me abrir, agora no final do ano está ainda mais evidente, todos indo a festas e curtindo a vida e eu não tenho a menor vontade de participar. Estou em uma fase muito ruim, vivo na base do álcool, maconha e pornografia, são os únicos prazeres que eu consigo alcançar. Não tenho mais objetivos na minha vida, estou apenas existindo, tentando não acabar me matando por depressão. A vida não é mais vivida, ela chegou no ponto de se tornar um fardo a se carregar. Não tenho nenhum relacionamento com outras que não seja profissional. Minha família está pouco se importando com a minha existência, cada um se importa apenas consigo e o resto que se exploda.

  • Rodrigo disse:

    Cara, eu estou tão triste e decepcionado, eu achei que tinha amigos, eu achei que poderia contar com as pessoas, eu doei tanto também, madrugadas cuidando de amigos, ouvindo amigos desabafaram, e quando precisei tomei porrada da vida, exclui redes sociais, apaguei números da agenda, incrivelmente a minha ex era a unica que eu batia papo de vez em quando mas como ela está namorando acho antiético chamar ela pra conversar, me sinto sozinho na multidão, nunca tive um relacionamento aberto com meus pais e irmãos, apesar de amar muito eles a conversa não flui, as vezes só tenho vtd de chorar pensando que minha presença nunca foi notada apesar de tantas coisas altruístas e empáticas que eu me dediquei….as vezes eu penso que sou um babaca, mas nunca fiz ações pra ser chamado como tal, não sei se sinto raiva de mim, raiva do tempo que perdi por pessoas que não tinha mesma empatia que eu, falo com Deus mas infelizmente não consigo ouvi-lo pelas perturbações, hoje depois de ler esse texto que escreveu posso concluir que amigo algum eu tive na minha vida em 31 anos de história e isso é a coisa mais triste que eu poderia analisar e ver que talvez eu seja só mais um “rejeitado”, rejeitado é como me sinto, infelizmente ou felizmente isto vai me tornar mais forte e talvez mais vazio e cético em relação as pessoas ao meu redor!Será que eu fui inocente demais? Eu ainda não consigo entender…talvez seja apenas um jogo e eu tenha que dançar conforme a música, mas eu não sou falso a ponto de virar mais um jogador…talvez seja melhor eu ficar sozinho….

    • MMS disse:

      Ola Rodrigo! Sinto na alma o mesmo que voce.. As vezes me culpava, achava que talves era eu que estava mal, mas agora percebo que é melhor estar só do que ter amigos falsos que nos sugam quando precisam..Força pk as vezes é melhor estar só que mal acompanhado

  • MMS disse:

    Ola! Entendo voces, pois sinto o mesmo, um grande vazio na alma.. Onde estao os amigos??? Nunca os tive.. Nunca entendi o por què de ser excluida. Sou positiva, sempre dei força para todos a minha volta, mas nunca fui correspondida. Em toda minha vida([email protected]),fui solitària, nenhum amigo, só um colega aquí outro ali, eu sempre ajudei todo mundo, preocupei com todos e o que eu ganhei com tudo isto?? Nenhum Feliz Ano Novo, nada.. A partir de hoje tomei uma decisao: vou tractar todo mundo como desconhecidos, com indiferència, pk vejo que nao vale a pena…

  • Izadora disse:

    Bom, estou aqui pela infeliz semelhança, na fase adulta e nessa geração a definição de amizade está rasa, ou a estranha sou eu, depois dos 20+ parece que as turmas se fecharam e eu sobrei, espero que eu aceite e aproveite a solidão ou me adapte ao novo conceito de amizade nessa fase que é mais um coleguismo, exibicionismo e competição velada. Boa sorte a todos os solitários e ótimo 2019.
    *Dica- Meetup app para roles e possíveis amizades.

  • Anacvo disse:

    Pior que nem colegas, eu tenho.
    Às vezes fico pensando em ir à casa de alguém, ou ligar, ou marcar para sair, mas não tenho essa opção.
    Não sei, realmente não sei o que em mim não atrai as pessoas.
    Na faculdade fico totalmente sozinha.