Esta foto é sua?

Eu quero mais de você

Eu bem queria ser mais ponderada. Queria me contentar com doses homeopáticas; aquela coisa careta de um pouquinho por dia. Queria ser a pessoa que come um bombom e fecha a caixa. Queria não viver entre tudo e nada. Queria abrir um pote de doce de leite e sossegar antes de ver a lata vazia.

Queria parar de dançar antes de sentir dor nas costelas. Queria não devorar cada temporada de uma série em dois dias. Queria não ouvir a mesma música até enjoar nem me incomodar com portas entreabertas que precisam ser arreganhadas ou trancadas senão me dão agonia. Queria conhecer parcimônia, meio-termo e simetria.

Mas eu gosto de muito ou nada. Prefiro nem sorrir se não puder me lambuzar na alegria. Dizem que é imaturidade, que com o tempo passa e até que eu preciso comer de três em três horas para nunca ficar de barriga vazia. Para mim pouco importa. Só sei que de você eu quero bem mais do que essa posologia mesquinha indicada para o dia.

Não vou saber lhe consumir assim aos poucos. Eu quero mais de você. Quero que você venha inteiro. Sem bula, sem pressa, sem receita. Quero que fique para amanhã e para os próximos dias. Não me venha com essas doses reguladas; isso não cura, só vicia.

Não é entre as suas mãos que eu vou conhecer o que existe no caminho tortuoso entre o tudo e o nada. Agora eu quero doses cavalares de você. Quero brincar de ligue os pontos com as pintas do seu corpo e decorar a história fantasiosa de cada cicatriz. Quero deitar no seu ombro direito, ouvir você falar e sentir sua barba ruborescer meu rosto que realmente precisa dela para melhorar a circulação, evitar rugas e ajudar a pele a respirar com esfoliação.

Eu posso até aprender o que é meio-termo mas não agora. Agora eu só quero mais de você. Eu quero muito porque além do muito, eu só tenho o nada a oferecer.

Comentários