Esta foto é sua?

Eu sinto a sua falta, mas não te quero de volta

Eu sinto sua falta e carrego em mim uma saudade enorme, mas isso não quer dizer que eu queira você de volta. É bom deixar isso bem claro antes da gente prosseguir. E eu vou até pular o parágrafo para poder te dar a chance de não ler esta carta.

Pode parar se quiser.

Espero que você esteja bem. É assim que vou começar e até mesmo como vou encerrar tudo aqui. Eu nunca torci pelo seu mal e não seria agora distante que desejaria te ver correndo pra mim pedindo algum tipo de ajuda. Como alguém que dividiu uma parte importante da tua história, sempre deixo a minha porta aberta e a mão amiga estendida. Sinta-se à vontade quando quiser falar, mas também entenda quando eu não puder te receber. Sempre te disse que alguns problemas precisam ser resolvidos com a sua consciência, não com a opinião dos outros.

Achei estranho quando vi sua mensagem. Desculpa se demorei muito tempo para responder, mas é que eu não tinha formulado muito bem meu pensamento. E, algumas vezes, é mais importante calar e ouvir sua razão que sair arrotando o que vier à cabeça. Palavras podem até ser levadas pelo vento, mas também tem o poder de causar destruição por onde passam. Hoje, com tudo mais calmo e os sentimentos nos seus devidos lugares, consigo enxergar claramente tudo que houve. E o que ainda há.

Como você tentando o regresso.

Quando você me pergunta “onde foi parar todo o amor que você sentia?”, juro que fico morrendo de vontade de rir. Da sua cara de pau, claro, mas também pela minha mudança em não aceitar mais qualquer sentimentozinho. Me permita usar o diminutivo, mas é como vejo hoje o que me oferecia. Se era o máximo que poderia colocar à minha disposição, tudo bem. Cada um oferece aquilo que pode e, principalmente, aqui o que convém. A culpa, no final das contas, não foi minha ou sua, foi da falta de sintonia.

Vou continuar lembrando teus beijos, teu jeito de fazer um carinho e segurar meus cabelos, mas a saudade que sinto disso tudo e daqueles dias não me farão querer que o passado vire um novo presente. Acreditar em volta, até acredito, mas não na nossa. Foi o que tinha que ser. Não te deixaria sem uma resposta. E se você leu até aqui é porque queria mesmo saber. Um dia, eu sei, a gente vai perceber que insistir apenas desgastou uma relação que deveria ter sido leve todo o tempo. A gente aprende – espero. Te desejo toda a sorte do mundo.

Fica bem.