Esta foto é sua?

7 lições do fundo do mar que aprendemos com A Pequena Sereia

Esses dias me peguei discutindo com alguns amigos qual era a melhor princesa da Disney e, por mais que a Pocahontas tenha dois príncipes e a Mulan seja a mais feminista (ela literalmente foi à luta e defendeu o reino!), a Ariel sempre foi minha preferida.

Depois de muito refletir sobre o assunto, percebi que todas as princesas que eu mais gostava não eram aquelas mais passivas, que esperavam o príncipe, mas sim as que iam atrás do que queriam. Outra coisa que reparei foi que aprendemos várias lições com “A Pequena Sereia” – e não só com a Ariel, mas também com o Sebastian e até com a melhor vilã de todos os tempos

Estão prontos para relembrar um pouco da infância?

1 – Corra atrás dos seus sonhos (mesmo que pareçam de outro mundo)

Cara, a Ariel é uma das princesas que melhor mostrou isso na Disney, e sabe por quê? Não, não é por causa do príncipe. Ela sempre quis conhecer novos horizontes e tinha até uma coleção de objetos vindos de terra firme. Estudava nossos costumes, queria viver novas experiências… Nada tão diferente da nossa vontade de fazer intercâmbios, certo? Só não precisa fazer nenhum acordo escuso para conseguir o que quer, mas correr atrás disso? Deve!

2 – Tudo bem se você não quiser o mesmo que seus pais

Ou o que os outros esperam que você faça. Olha só a relação da Ariel com o Rei Tritão, por exemplo. Ele é o rei de Atlântida e odeia humanos (não sem razão, né?). Apesar de carinhoso, ele se mostra bem rigoroso com a caçula, principalmente quando o assunto é ir para a terra (precisava ter destruído a coleção dela?!). No fim, ele aceita a ideia e até diminui um pouco seu preconceito.

pequena-sereia2

3 – Linguagem corporal é tudo – e até um caranguejo sabe disso

A gente já ouviu muito que linguagem corporal é importante nessa vida. Mas uma das primeiras lições nessa área veio de quem? Da Úrsula!

pequena-sereia3

E não é só ela que sabe das coisas nesse desenho, viu? Até o Sebastian, que é aquele migo “voz da razão”, ensina a ruiva a sensualizar para o príncipe.

pequena-sereia4

4 – Mas não é só a beleza externa que conta

E aqui a gente dá uns pontos pro Eric, porque ele se apaixonou pela garota que salvou sua vida e o mais marcante nela foi a voz e não o cabelo vermelho ou ela ser muito bonita. Outra prova disso é a versão humana da Úrsula, que era tão linda quanto qualquer outra princesa Disney, mas tão insuportável que até sua “versão normal” tem mais carisma.

pequena-sereia5

5 – Enfrente seus medos

Praticamente todo mundo enfrentou seus medos n’A Pequena Sereia, você reparou nisso? A Ariel, que trocou a voz por pernas e foi desbravar terra firme, o Tritão, que teve que abrir mão da segurança de sua filha e até o Sebastian, que foi junto e quase virou jantar.

pequena-sereia6

6 – Beije a moça, o moço ou quem você quiser

Uma das partes mais românticas de “A Pequena Sereia” é quando Eric e Ariel tem seu primeiro date oficial. E a gente adora quando o cara toma a iniciativa ou tudo acontece num cenário super romântico (com música de fundo e um passeio no barquinho), mas a lição aqui é que às vezes você só precisa tomar a iniciativa para as coisas se acertarem. No fim, não importa quem dá o primeiro passo (;

pequena-sereia-date

7 – Não se cale por ninguém

Sabemos que, na maior parte das vezes, as pessoas não se calam por vontade própria. A não ser que elas assinem um contrato com uma bruxa e troquem, sei lá, por pernas.

Mas acho que a principal lição de “A Pequena Sereia” nem é assinar contratos sem ler. É nunca se deixar calar por ninguém! Seja pelo cara que você acredita ser seu príncipe (e, se ele fez isso com você, pode acreditar: ele é o só o sapo), uma “amiga” ou até por seus pais.

pequena-sereia7

Comentários