Esta foto é sua?

Maybe I’m amazed

O meu Beatle preferido sempre foi o “silent Beatle”, o George. Meu Beatle preferido não era o engajado, nem era a virtuose musical do grupo. Minha preferência pelo “Love Beatle” sempre foi exatamente por isso: ele escreveu as melhores canções de amor dos Beatles – e, na minha opinião, as melhores de todos os tempos, com Something, I Want to tell You e I need you entre as minhas favoritas. Escrever sobre amor não é fácil. Fácil é parecer um idiota escrevendo sobre amor. Escrever como o George, é tarefa das mais difíceis. Mas uma música que me colocou pra pensar durante o fim de semana não foi nenhuma do meu Beatle preferido. Foi uma do Paul. Maybe I’m Amazed.

Esse fim de semana fiquei em casa o tempo todo, assistindo filmes e séries com a minha namorada. E parei pra perceber que, realmente, maybe i’m amazed. Maybe i’m amazed com o jeito como ela, assim como eu, adora quando estamos juntos, e tudo o mais fica em segundo plano. Maybe I’m amazed at the way she loves me all the time. O tempo todo. Mesmo quando eu dou uma sugestão completamente imbecil sobre a decoração do nosso apartamento ou quando eu cismo de comprar um falcão, um cavalo ou um Guaxinim. Mesmo quando eu deixo ela cochilar vendo filme só pra eu poder jogar poker online. Mesmo quando eu teimo como uma mula durante horas e ela, sabendo que eu estava errado o tempo todo, no final fala: “você não é teimoso, amor, você só se confunde”. Eu sou teimoso sim, amos sabemos disso, mas ela me ama demais pra se importar com isso.

Maybe I’m a man and maybe I’m a lonely man, who’s in the middle of something that he doesn’t really understand. Porque mesmo quando eu não tenho com quem contar, quando não tenho para quem contar, ela me ouve e me faz sentir menos sozinho. Mesmo quando eu brigo com alguém ou estou revoltado com alguma coisa – o que acontece quase semanalmente – ela, ao invés de falar somente que eu estou sempre certo, tenta ponderar e me fazer ver que não, eu não estou sempre certo. Mas ela não fala isso. Ela me faz entender que eu realmente não entendia. Coisas essas nas quais eu achava que estava sempre certo, porque, exatamente, eu estava no meio de algo que eu realmente não entendia.

Maybe I’m a man and maybe you’re the only woman who could ever help me. Como eu nunca achei que alguém pudesse. Maybe i’m amazed sobre como você me faz perceber quando eu estou errado sem gritar isso na minha cara, sem simplesmente relevar nada. Sobre como você me ajuda como eu nunca achei que alguém pudesse me ajudar. Na verdade, como eu nunca achei que precisasse dessa ajuda.

Maybe I’m amazed at the way I really need you. Eu que nunca achei que fosse precisar de ninguém. Eu que tive dezenas de relacionamentos fugazes, a maioria por minha culpa, admito. Por defeitos meus intrínsecos que eu nem sabia que existiam, e quando sabia, não os achava importantes e preocupantes. Mas você, falando pouco, me acusando de nada, me fez perceber essas coisas. Perceber qualidade que não eram tão qualidades assim, e defeitos que não eram tão defeitos assim, e, principalmente, perceber que não, eu não estou sempre certo. Perceber que, mesmo quando eu estou certo, estar certo é muito menos importante do que resolver um problema ou superar uma questão. Eu preciso de você pra entender coisas que eu, do alto da minha empáfia, da minha auto-estima de ator de filme pornô – do alto de toda a minha confiança arrogante de quem acha que sabe tudo -, não entendo.

Baby won’t you help me to understand?

Comentários