Não morra sem: sofrer ouvindo um hard rock bem calcinha Esta foto é sua?

Sofra, pelo menos um dia, ouvindo um hard rock bem calcinha

Imagine que você está na década de oitenta. Que usa botas até os joelhos, batons extravagantes e que o seu namorado tem um cabelo mais incrível e mais comprido que o seu. Que masca chiclete com a boca aberta, usa calças de couro, meia arrastão e maquiagem bem colorida. Delícia, não é? 

Cheguei a este mundo no final da década de 80. Mas sinto uma saudade do que não vivi na época em que as bandas de hard rock viveram o seu ápice.

Além de achar homens de cabelos compridos charmosíssimos (meu passado me condena, parte 1), adorar caras de atitude (tem que ter atitude para sair de casa com uma juba que parece ter sido gerada por um curto elétrico, não é) e músicos (meu passado/presente me condenam, parte 2), acho libertador cantar hard rocks calcinha.

Os cuecas que compuseram e cantaram esses sucessos certamente pegaram muitas mulheres – mesmo que, sim, preconceituosos, às vezes parecessem uma. Ser groupie na década de 80 deveria ser, no mínimo, mais divertido.

A trilha sonora de hoje é para quem, como eu, não tem medo de parecer cafona ou antiquado ao se divertir com hard rock dos bons. Eu garanto que vale o investimento!

 “Remember yesterday, walking hand in hand. Love letters in the sand – I remember you”

“Oh, we’re half way there. Whoah, livin’ on a prayer”

“I was cryin’ when I met you, now I’m tryin to forget you”

“I’m the one who wants to be with you. Deep inside i hope you feel it too”

“Is this love that I’m feeling? Is this the love that I’ve been searching for?”

Comentários