Esta foto é sua?

7 motivos para fazer uma maratona de OITNB agora

Se você nunca se rendeu à Orange Is The New Black (oi? Em que mundo você vive?), agora é uma ótima hora para fazer aquela maratona, aproveitando a quarta temporada que voltou ainda melhor que a anterior – e mais triste.

Depois de devorar os episódios (não aguentei e terminei tudo logo no fim de semana que eles lançaram), não tem outro assunto, sorry, GoT. E se você nunca deu uma chance às detentas de Litchfield, vou te explicar em sete argumentos por que a série não deveria passar em branco no seu radar.

Separa o modelito laranja e confia:

1 – Elas têm as melhores referências

Harry Potter, Game of Thrones… Quem disse que as detentas de Litchfield não tem cultura com certeza não tentou conversar com elas por muito tempo.

cedric-diggory

2 – Mas as reflexões que trazem são sérias

Desde o começo, a série se propõe a debater problemas como a corrupção no sistema penitenciário, racismo e homofobia. Mas a quarta temporada, de longe, é a mais forte nesse sentido (e se você não viu ainda, pula pro próximo tópico, rápido!), fazendo referências claras a negros norte-americanos que foram mortos pela polícia, como Eric Garner em NY e Michael Brown em Ferguson.

poussey-racism

3 – Fora que é uma série que fala sobre… Mulheres, ué.

Vamos só dizer que o fato de se passar numa penitenciária feminina ajuda e muito para isso. Em OITNB, encontramos várias histórias diferentes, sempre trazendo mulheres nos papeis mais relevantes e girando em torno de assuntos femininos…

oitnb-laverne

4 – …Incluindo os mais fúteis (e gostosos)

comida-oitnb

5 – A série é muito atual

E dá para perceber pelo roteiro e pelos assuntos que elas comentam por cima, mesmo teoricamente estando isoladas da sociedade. Falamos lá em cima do movimento “Black Lives Matter”, mas o feminismo também é outro ótimo exemplo, mesmo quando aparece enviesado num discurso para arranjar mão-de-obra pra um esquema de venda de calcinha.

lichtfield-bodies

6 – E dá até pra aflorar a criatividade

Porque se tem alguém que aprende a se virar com o pouco que tem, são elas!

couture

7 – No fim, é tudo sobre diversidade!

E isso é lindo de se ver. Dificilmente você vai encontrar alguma série que represente tão bem todas as cores e escolhas – seja para parceiros sexuais, seja para religião.

shabbat-shalomShabbat Shalom, Cindy!

Comentários