Esta foto é sua?

Por que você investe seu tempo em quem te deixa insegura?

Sabem aquelas pessoas que “sei lá”? Pois é. Dia desses eu me flagrei aqui, deitada, à meia noite, trocando mensagens com um cara que sei lá. Sei lá qual é a dele. Sei lá se ele gosta de mim. Sei lá porque ele é tão inconstante assim. Sei lá por que, mas ele não faz bem para mim.

Passou algum tempo, o assunto acabou, ele falou que iria dormir e eu fiquei pensando no porquê de eu investir meu tempo em gente assim. Fiquei pensando nos outros muitos vinte minutinhos de conversa que eu já investi em gente que não me fazia bem e comecei a me perguntar se isso seria algum tipo de masoquismo ou se todo o mundo tem mesmo essa mania estranha de hora ou outra se dedicar a gente que claramente não está nem aí.

Conversei com algumas pessoas e percebi que isso é algo recorrente. Percebi que muita gente se envolve com pessoas que são verdadeiras incógnitas sem nem entender o porquê e fiquei tentando decifrar essa nossa mania de às vezes transformar as relações em desafios impossíveis de viver.

A verdade, sejamos francos, é que nós sabemos desde muito cedo quem pode ser um problema em nossas vidas. Nós sabemos quem realmente se importa. Nós sabemos quem nos traz segurança e quem nos desperta aquele ciúme estranho que não costumávamos sentir. Nós sabemos quem nos conforta a alma e quem nos perturba a calma por não estar muito aí. Nós sabemos, mas meio ingênuos, fingimos não pressentir porque de um jeito ou de outro há algo de gostoso na incerteza e nos mistérios do sentir.

Mas uma hora cansa. Uma hora, seja por tédio, trauma ou pavor, tudo o que a gente quer é a simplicidade e calmaria daquilo que talvez se chame amor. Tudo o que a gente quer é constância e aquele conforto por saber que quem está ali do outro lado se realmente se importa. A verdade, sejamos francas, é que gente que “sei lá” cansa. Gente que se entende é o que realmente encanta e importa.

Comentários