abraço Esta foto é sua?

Primeiro abraço gay: Um vídeo com uma lição de respeito e compaixão

Todo mundo, ou quase todo mundo, que viu o vídeo do beijo entre estranhos, ficou maravilhado como algo simples e inesperado pode desencadear coisas e sentimentos que nem nós mesmos sabemos que temos.

E outro vídeo chamou atenção de maneira igualmente simples e com uma mensagem até, talvez, mais profunda e gerou uma consciência acerca de valores como compaixão e, principalmente, o respeito. É sobre homofobia que vamos falar aqui.

O vídeo que trago hoje trata exatamente disso. É um projeto denominado ‘Primeiro abraço gay’ (Um Experimento Homofóbico), que teve a ideia de colocar duas pessoas (homens e mulheres e várias etnias e idades), que não se conheciam, frente a frente, com o intuito de promover singelos e simples abraços.

O mais interessante de tudo é que de um lado temos um gay e do outro uma pessoa homofóbica. Observe:

A emoção que paira no vídeo é incrível, em que podemos testemunhar uma quebra de tabus, desmistificação de preconceitos e, assim, abrindo alas para sentimentos como tolerância e os outros dois citados no primeiro parágrafo.

Acredito no amor, não no amorzinho ou coisa do tipo, mas sim como o melhor sentimento do mundo e nas suas inúmeras formas, maneiras e facetas. A ideia do projeto mexe com a gente por mostrar extremos em rota de colisão, que existem sentimentos bons e quando temos o propósito de respeitar o próximo e, ás vezes, nós mesmos, criamos uma vida mais amena e direta sobre esta jornada chamada vida. Não rola essa ideia de ‘super analisar’ ou complexar as coisas, o charme talvez esteja nas simplicidades.

As taxas de crimes motivados por homofobia e atitudes homofóbicas são pautadas quase todos os dias em diferentes meios de comunicação – o que é triste – e vêm gerando debates, discussões e conversas a respeito. Não adianta impor que é errado, até outro dia ser negro não é considerado ser gente, mulher não votava e vivíamos a mercê de ignorâncias que hoje em dia consideramos um completo absurdo. O vídeo original já ultrapassou mais de três milhões de visualizações, e ainda está lá crescendo o número de acessos e gerando um debate acerca do projeto e seu intuito, algo que podemos fazer aqui, uma vez que crescer e/ou amadurecer é expandir graus nos horizontes da mente e concepções.

Sobre o projeto pergunto-lhes: É tão difícil respeitar o universo de outro ser humano e suas escolhas?

Comentários