Esta foto é sua?

Reciprocidade não se mede

Não posso te prometer minha paixão, meu amor ou o que quer que seja. Posso te dizer que venho gostando – cada dia mais – de tudo que a gente tem passado junto. Se você tiver pressa, guarde-a pra você. Não me pressione a descobrir o que eu nem mesmo cheguei um dia sentir. Querer amar e viver tudo isso é bem diferente de realmente estar amando e vivendo.

Vamos com calma e com tempo.

Pode continuar com essas suas surpresas. Posso servir de inspiração, de rima pros seus versos e de novos retratos desse cotidiano novo de acordar e ter alguém para dedicar meu “bom dia”. Você acha que eu não vivo a mesma expectativa de receber uma mensagem antes de dormir ou logo pela manhã?

A única coisa que peço é espaço para eu mesmo descobrir o emaranhado de sensações que a tua chegada tem me provocado. Eu, que não sabia quando seria capaz de ter esse estalo, posso jurar que ouço sinos, cliques e badalos em certos momentos em que teu braço me agarra e não desejo nenhum outro lugar que ao teu lado. Só que ainda me assusto com tudo.

Me perdoa não saber definir. Ainda.

E se você não quiser me esperar, tudo bem. Eu te entendo. Às vezes a gente fica tanto tempo esperando alguém especial que quer gastar todo o querer de uma vez. Obrigado por me tornar essa pessoa especial, só não posso retribuir esse caminhão de expectativas. Posso dizer que, sim, esse gostar é recíproco.

Só que reciprocidade não se mede, se vive.

Vou repetir, que é pra deixar muito clara a minha intenção: eu gosto de você. Não me incomoda não poder te dar certezas porque, de verdade, eu ainda preciso saber quais certezas que tenho. Um dia de cada vez, por favor. Só assim a gente descobre o que eu sinto, o que você sente e, finalmente, tudo o que a gente pode ser.

Comentários