Esta foto é sua?

Sincronia

Vou ser sincero em dizer que todo relacionamento começa com uma paixão. Some-se a ela amizade (e nisso incluo o companheirismo) e verá que isso se transforma em amor.

Paixão + Amizade = Amor, é uma matemática bem simples.

Mas ao contrário da ciência exata, no mundo emocional a ordem dos fatores altera o produto. Sendo objetivo, não acho que da amizade conseguimos extrair uma paixão, a descoberta, curiosidade da pessoa, seu corpo, sua mente… Já estamos tão “habituados” a pessoa que não tem a mesma graça da coisa toda.

Partindo do princípio de que temos amor no relacionamento. O que pode sustentar isso? A palavra-chave é a sincronia.

Syn do latim significa junto

Chronos do latim significa tempo

A sincronia está intimamente relacionada ao tempo, e tempo = maturidade

Minha paixão por relógios me fez acreditar que temos muito em comum com eles, e um casal deve marcar pelo menos as mesmas horas e minutos de seus relógios. A sincronia está relacionada com a fase da vida em que vivemos, e nisso diferenças de idade podem pesar.

Vamos pensar num exemplo trivial:

Uma guria de 18 anos, caloura de faculdade namora um cara de 25, médico recém-formado. Por mais que exista muito amor entre eles, a sincronia da vida é outra: enquanto ele está ocupado em plantões, ela está descobrindo a vida universitária, bares, churrascos, festas, etc. Não há nada de errado nem com ela muito menos ele, mas seus relógios vão pouco a pouco sair de sincronia e o relacionamento se desmancha. É um pouco “frio” pensar assim, mas são situações como essa que vemos no cotidiano.

Casais em sincronia geralmente estão com suas fases da vida alinhadas, pensam nas mesmas coisas para o futuro, mas principalmente no presente. Às vezes se ele está meio sem saco para encarar uma balada, mas sabe que ela quer muito, ele vai injetar uma dose de ânimo na veia para acompanhá-la, colocar uma roupa bacana, perfume e se esforçar para curtirem juntos. Ou se ele está passando por um momento profissional duro (ou um concurso, seleção de emprego), ela vai deixar de lado aquela viagem marcada com as amigas e amigos para querer ajudar, nem que seja apenas fazer companhia.

O grande problema é que tudo conspira para perdermos a sincronia, parece até meio pessimista, mas devemos levar em conta que existem fatores internos e externos que nos levam a perdê-la.

O fator interno é a nossa cabeça: somos humanos e infelizmente às vezes somos suscetíveis a desejos que não existiam antes, podemos regredir na maturidade, querer experimentar coisas que antes não nos agradavam. É, somos tudo isso e por vezes até pior.

É preciso muita inteligência emocional para ponderar tudo e saber que muitos desejos são vagos e/ou momentâneos, devemos pensar a longo prazo e nas consequências dessas escolhas.

Fatores externos podem ser dos mais variados: pode ser aquela pessoa que julgamos “amigo(a)” e começa a nos influenciar (por ou sem querer), uma mudança de cidade, faculdade, trabalho, ambiente. O mundo é uma selva!

Ou seja, relacionamentos duradouros não estão ligados no piloto-automático. O casal deve todo dia exercitar sua sincronia, avaliar interna e externamente, isso é o que os move. E quando sentem que sua sincronia está se perdendo é importante saber como recalibrá-la.

Comentários