casais-cidade Esta foto é sua?

Somos todos esses casais da cidade

Nós somos aquele casal se agarrando num dos últimos bancos do ônibus. Ou aproveitando o metrô vazio pra não economizar nas carícias. Nada muito pervertido, mas o suficiente pra você me deixar aceso. Me fazer ajeitar “as coisas” para não dar tanta bandeira. Vai que alguma senhorinha percebe que minha barraca tá de pé no meio da rua, né!

Somos também as mãos dadas na praia. O vento bate no nosso rosto, as pessoas passam olhando nossos sorrisos. Desviamos de algumas crianças, separamos para evitar alguns postes, fazemos carinhos em alguns cachorros fofos que chegam pedindo festinha. Ali estamos, tenho certeza, vivendo uma das facetas do amor.

Nossas fases.

Aliás, fazemos amor todas as noites. De vez em quando apenas nos olhando, noutras pra valer. E eu nem preciso dizer quanto gosto do teu jeito, do teu corpo, de nós dois juntos. Fazemos com que os vizinhos se perguntem se aquela é noite de futebol. Ou se decidimos fazer nosso próprio réveillon fora de época. Vai saber.

Não poderia deixar de falar dos vasos estilhaçados nas paredes, nas fotos que se rasgam, nas portas que batem com força e parecem quase sair dos batentes. A casa quase cai com as nossas brigas, mas ainda bem que nós detestamos dormir brigados. Lembro aquele pesadelo e prefiro me dizer errado estando certo do que ir pra cama de mal contigo.

Faz mal demais.

Somos um desses tantos pares que passeiam por livrarias, comem pipocas na fila do cinema, tomam seus chopes gelados nas noites quentes da cidade e torcem pro frio chegar logo e o Netflix ganhar nós dois de companhia embaixo de um edredom. Somos tudo isso que normalmente as pessoas costumam fazer todos os dias e fins de semana.

Não fosse a distância.

Então, no metrô e no ônibus somos mensagens. Provocantes também. Na praia, somos os distraídos que carregam celulares nas mãos ou que batem nos outros lembrando o ser amado. As noites de amor são as promessas do encontro. As brigas são frutos da vontade em querer chegar logo a hora de nos vermos. E em todos esses casais da cidade eu enxergo um pouco de nós.

Sinto sua falta.
Vem logo me ver.

Comentários