Esta foto é sua?

Vamos nos amar loucamente?

Hoje acordei com vontade de amar loucamente. E confesso que nem consigo imaginar o quão anormal seja escrever isso. Até porque, quem em sã consciência acorda querendo amar loucamente? Não conheço ninguém. E quando digo loucamente, digo com todas as qualidades e imprevisibilidades que a palavra louca nos oferece. O fato é que hoje eu acordei querendo sumir somente com um amor no coração, algumas bermudas na mochila e vários beijos. Sumir pelo mundo, com um pouquinho de dinheiro, cheio de coragem no bolso, dizendo adeus a quem me impõe cerquinha, sorrindo para quem duvidar e aproveitando o poder de cura do mundo.

Sei o quão utópico é querer viver de amor, ainda mais nos dias de hoje, mas fazer o que se esse sentimento me invade pelas manhãs? Acontece que me sinto cansado desse ciclo de conhecer alguém, trocar algumas mensagens e viver na eterna preguiça de ter que conhecê-la mais e mais. Estou cansado de viver nesse ciclo mensal de pagar as contas e correr atrás de um dia ser alguém. Dizem que somos livres. Somos livres, mas precisamos fazer isso e aquilo. Somos livres, mas precisamos pagar isso e aquilo. Somos livres, mas tão livres, que nem temos tempo para ser realmente livres.

Na minha loucura, que gosto tanto de dividir, confesso que sonho com um amor que talvez nem exista. Mas quem disse que isso não é algo extraordinário? Alguns dizem, e acreditam veementemente, que dessa forma podemos viver desilusões, ou, que podemos ser para-raio de algumas frustrações ao longa da vida. Coisa que discordo. Expectativas geram frustrações, sonhos não geram frustrações. Para mim a felicidade é uma mera possibilidade, nem sempre se desenha como imaginamos, mas qual a graça se não nos alimentarmos de sonhos? A realidade sem um toque sonhador, não faz verão.

Então hoje eu queria pegar na mão dela e fazer novamente todas viagens que já fiz. Tenho prazer em mostrar o mundo para quem tem interesse. Queria largar tudo por alguém. Sinto falta disso. Meus últimos amores foram muito mornos ou me machucaram muito. Estou querendo algo que, como se fosse óbvio, só me fizesse bem. Queria me perder na esperança de um futuro novo. Recomeçar a viver, a amar, a voar, a descobrir novos corações. Será que há como começar outra vida somente com os aprendizados desta? Enfim, não sei, talvez essa seja a beleza do amor. Um novo começo, com os aprendizados do passado, mas com a linda esperança de um futuro.

Então que ela venha de olhos pequenos, sorriso do tamanho do mundo e pronta para sumir comigo para onde o vento quiser levar as respostas. Que ela venha leve, deixando os traumas para trás e querendo se perder na alegria de conhecer alguém que sonha mais do que deveria. E que por fim que ela adore viajar e sentir o coração acelerar, pois, se tem uma coisa que aprendi nessa vida é que quando a gente cativa o mundo, ele nos devolve tudo em amor e carinho.

Comentários