Velhos tempos Esta foto é sua?

Velhos tempos

Se encontraram na seção de livros religiosos de uma grande livraria, entre o Seicho No Ie e o Xamanismo Moderno. Ele folheava um exemplar de O Monge que roubou a Cabana – mudando a sua vida através da meditação com cigarros mentolados, quando percebeu que ela o fitava fixamente. Ele olhou ao redor e confirmou: era para ele mesmo que ela olhava. Enquanto ela se aproximava, ele rapidamente virou a página para sair do capítulo “Usando a meditação transcendental para melhorar a sua potencia sexual”. Ela se aproximou e o abordou.

– Paulinho? – Perguntou ela, olhando fixamente para os seus olhos.

Ele olha para ela por alguns segundos, como que tentando reconhece-la. Ela é linda, usa uma blusa casual que não esconde nada dos seus seios e uma saia até os joelhos que deixam à mostra belas e torneadas panturrilhas – e todos sabem que dá pra saber tudo sobre uma mulher somente analisando as panturrilhas. Quando seu olhar acaba o tour pelo corpo dela, finalmente ele tem um estalo, ao mesmo tempo em que ela o interrompe.

– Juzinha! – Diz ela, apontando para o próprio peito!

– Claro, Ju! Caraca, você tá tão diferente!

– Pois é, né. Faz o que, uns quinze anos? E você ainda gosta de esoterismo?

– Por aí, acho que mais. Claro, adoro!

– É, foi em 98?

– Caraca, mais de quinze anos…

– Você ainda lembra por que a gente brigou?

– Putz, não mesmo. Não foi por causa da…

– Fatinha? Não foi?

– Isso! Mas foi bobeira nossa, nem foi nada importante.

– Tudo bem que faz muito tempo, mas eu descobri que você namorou nós duas durante dois anos, Paulinho! Claro que foi importante, hahahahah!

Os dois riem e se fitam nos olhos por alguns segundos.

– Mas eu era muito novo. E como você tá?

– Tô bem. Acabei de me separar do Fred, lembra dele?

– Fred, Fred…

– É, um meio ruivo, você e o pessoal do futebol achavam que ele era gay!

– Nossa, o Fred! E se separaram por que?

– Pois é, então, descobri depois de catorze anos que vocês estavam certos…

– Não brinca!

– Juro. Descobri que ele tinha um caso com o professor de Squash dele.

– Nossa…

– Pior não foi ser trocada por um homem, o pior é que o cara tem vinte e dois anos. Me senti uma velha!

– Pelo menos ele não te trocou por uma mulher de vinte, hahahaha!

– Antes fosse, tem que ver a bunda daquele cara… Parece a Beyoncé.

Os dois riem e ele guarda o livro na estante. Eles caminham pela livraria enquanto conversam.

– Você ainda é botafogo doente?

– Claro! Vou em todos os jogos! E você, ainda é fã da… dos.. como era o nome mesmo?

– Backstreet boys! Ainda amo! Só não tenho mais os pôsteres, né, aí já é demais.

– Eu ainda tenho os meus do Botafogo, minha paixão durou mais, hahahahah!

– Pois é…

Ele se aproxima dela e fala, olhando para o chão:

– Você ficou com muita raiva de mim por causa da Ritinha?

– Fatinha

– É, Fatinha.

– Na época fiquei, mas depois passou. Eu era muito chata, a gente se via pouco, minha família não gostava de você. Não justifica, mas sei lá, a raiva passou.

– Bom, eu também me separei há uns meses. Pensei muito em você, mas achei que você ainda tivesse com raiva e nem te procurei

– Também pensei em você, mas achei que você estivesse casado, com filhos, família.

– Casei, nada de filhos. Durou pouco, éramos muito diferentes.

– Pois é, eu e o Fred também, né, hehehe.

– É, então, Ju, quer sair pra jantar um dia desses?

– Pode ser! Ainda gosta de comida japonesa?

– Sempre!

– Fatinha é assunto proibido no jantar!

– Combinadíssimo! Quinta?

– Quinta não dá, eu tenho pré-estreia do filme dos Cavaleiros do Zodíaco! Sou vice-presidente do fã-clube deles e a gente vai fazer cosplay! Eu vou de Athena esse ano!

– Que legal! Mas lembrei agora, quinta eu tenho uma reunião em São Paulo e fico o fim de semana todo por lá. Vamos combinar quando eu voltar?

– Claro!

– Toma meu telefone.

Ela anotou o telefone em um papel e deu a ele. Se despediram, beijinhos no rosto, abraço apertado e suspiros. Ela foi embora e ele ficou parado na frente da estante de Hipnose e Poder da Mente. Quando ela saiu da loja, ele jogou fora o papel com o telefone dela. Nunca a havia visto na vida. Ele até conseguiria fingir que era o Paulinho, fingir que era Botafogo – afinal, era Vasco, a cor era a mesma, era só mandar tirar os escudos do time das cuecas. Ele conseguiria até comprar uns livros esotéricos e encontrar umas informações sobre ela na internet, pra deixar a história mais convincente. Mas ver o filme dos Cavaleiros do Zodíaco com ela vestida de Athena era demais. Que tipo de idiota faz isso? Se ainda fosse Dragon Ball. Ou se ela tivesse panturrilhas mais grossas.

Comentários