Esta foto é sua?

Você não é o único neste novo mundo louco

O nosso contato com o mundo real diminuiu, mas a quantidade de gente que acompanhamos aumentou. Também cresceu a quantidade de links, novidades, top 5, imperdível, leia essa reflexão, como você viveu sem pensar nisso e outros títulos chamativos como estes. E enquanto o mundo parece sorrir, nos sentimos as únicas pessoas do planeta que cometem o despautério de se sentirem sozinhas.

Sinto dizer, mas você não é o único que tem mais de mil amigos virtuais e às vezes não sabe com quem dividir uma angústia porque os seus melhores amigos da vida real estão felizes nas fotos e você não quer atrapalhar. Também não está solitário na inquietude sobre a extensão dos dias de quem já assistiu a todos os filmes do Oscar, acompanha de perto as investigações da Lava-Jato e ainda chega todos os dias de manhã comentando sobre um filme na madrugada.

Não é o único que sente os olhos doerem só de avistar a tal “luz azul” do celular e do computador e não sabe como se livrar do vício. Não é o único que começa um texto e corre pra atualizar a timeline do Facebook, que posta e fica atualizando para ver se o número de likes aumentou. Também não está sozinho no grupo dos que acordam e, antes mesmo de sentir o cheiro do café, já sabe quem estava na mesma festa de quem na noite de ontem. Também não é o único que já pensou em deletar o Facebook, o Snapchat e o Instagram. E desistiu.

Também pode não ser o único a gostar de uma banda lado B que ouviu num bar na Roosevelt, porque eles já acumulam centenas de fãs. Não existe mais um mainstream como Roberto Carlos já foi para nossas mães, mas também acabou o tempo em que você tinha um ídolo pra chamar de seu. As opções aumentaram e o mundo ficou menor e você não é o único a sentir a doce amargura desta contradição.

Parece que todo mundo virou empreendedor e enriqueceu? Parece que só os Youtubers são felizes? Não parece só pra você. Ninguém te conta que abrir um negócio é arriscado, faz perder o sono e dá um medo desgraçado. Nem que produzir conteúdo para a internet é delicioso, mas o plágio come solto e se diferenciar dá mais trabalho do que muito emprego com carteira assinada.

Você não é o único que está esperando por aquela sensação maravilhosa de que a vida adulta chegou, naquele dia que sobre dinheiro pra ir para Grécia e naquele momento maravilhoso em que a sensação de que o mundo vai te engolir vai passar.

Você também não é o único que pensa em largar tudo, ir para uma comunidade alternativa ou, no mínimo, voltar no tempo. Todos nós pensamos. Mas admitir isso dá um medo danado de parecer frágil. Estamos frágeis. Mas eu e você não somos os únicos. Não estamos, assim, tão sós.

Comentários