Esta foto é sua?

Amor não é coisa para covardes

Tenho andado de mal com o amor desde que comecei a mostrar o meu lado feio ao mundo. Doido isso, né? As pessoas só querem entrar uma relação se ela for fácil.

Mas sabe o que eu tenho aprendido com o tempo?

Que não dá para confiar em uma pessoa que sonha com um relacionamento perfeito. Amor de verdade é para quem aguenta o tranco. Amor de verdade é para quem é capaz de sair brigado da casa do outro, mas não consegue pregar os olhos durante a noite, porque ama tanto aquela pessoa, que começa a se sentir um idiota por ter iniciado a discussão. Amor de verdade é para quem se permite contradizer, entende?

Lembro de uma vez que eu disse para uma namorada que jamais faria um certo programa no final de semana. Mas eu fiz. Claro que eu fiz. Faria de novo, se possível. Amor é para quem se permite ser feito de idiota. Mas de uma forma saudável, sabe? Sabe quando você fica bravo com uma atitude da pessoa, mas assim que ela sorri, você sorri de volta? É isso.

Amor é para quem tem coragem de conviver com o que incomoda. É aprender olhar pro defeito do outro e pensar: “Porra, que coisa mais irritante”, mas segundos depois lembrar que é aquela coisa irritante que te faz sorrir no final do dia.

E por isso eu ando de mal com o amor. Preciso ser lapidado demais. Preciso de paciência. De dedicação. De alguém que olhe para o quanto sou quebrado e consiga enxergar uma fresta de esperança, saca?

Mas as pessoas só sabem procurar por uma relação que já esteja pronta, completa, perfeita. Como se isso existisse de verdade. Somos todos fodidos. Sim. Todos. Todo mundo carrega cicatrizes que não podem ser disfarçadas, medos que não podem ser superados, traumas que ficarão para sempre.

É por isso que elas procuram por alguém que não aparente ter problemas: para que todo o cuidado seja dedicado à elas. Mas, no fundo, ninguém quer admitir que precisa de cuidados também. E pior. Está cada vez mais difícil achar alguém disposto a cuidar.

Tenho andando de mal com o amor. Mas ele que me perdoe. Primeiro quero que ele faça as pazes com as pessoas que tenho encontrado por aí.

Comentários