Esta foto é sua?

A matilha da noite

Olá, para começar com meus textos resolvi de cara abordar um tema que faz parte da realidade da maioria: Baladas (para as paulistas) ou Night (para as cariocas). Se existe uma frase que eu não canso de ouvir noitadas afora, ou pelo facebook é o fato das mulheres chamarem os homens de cachorros.

Dito isso seria interessante vermos os diferentes tipos de caninos que vocês encontram por aí, cada um com as suas respectivas características…Fofo ele né?

Comportamento na balada: tímido, distante, dando uma impressão de perdido.

Bebidas: cerveja, alguma “ice” da vida, caipirinha, etc.

Abordagem: desde nula até conversar. O cão sem dona é inocente por natureza, e se você foi abordada por um cara que vai conversar por horas sem tentar qualquer coisa a mais chegando a um ponto entediante, sem dúvidas você está diante de um exemplar típico.

Cuidados: se você não curtiu o cara, NÃO DE O TELEFONE, pois ao final da noite ele vai mostrar aos amigos que conseguiu seu número e já vai ter montado um filme romântico na cabeça. Ficam extremamente chateados ao levar um corte! O ideal é jogá-lo na famigerada friendzone.

Resumo: são extremamente carentes e grudentos. Possuem em geral boa índole, entretanto acabam ficando entediantes. O cão sem dona é o típico cara que viveu um namoro longo e tem pouca prática na noite.Bonitão né? Está aí um típico vira-latas flagrado após uma vodka!

Vira-latas correspondem à maioria dos homens nas baladas, poderia arriscar que mais da metade com folga.

Comportamento na balada: extremamente ligado, feliz, corre atrás de todas as mulheres como um doido. São extremamente afobados.

Bebidas: vira-latas se relacionam facilmente uns com os outros, então é normal dividirem alguma garrafa de vodka da mais barata que tiver, afinal de contas só querem ficar doidão o mais rápido possível para “não perder tempo”.

Abordagem: a mais comum é puxar a menina pela mão quando ela está caminhando, tenta segurar, se não vai atrás. Conversa pouco e adora sair elogiando demais além de cantadas extremamente embaraçosas. Ficam sempre no limite entre o engraçado e o irritante.

Cuidados: o vira-lata geralmente está na balada para pegação, ponto. Ele não foi lá para pegar VOCÊ. Vocês apenas se esbarraram e ele não vai perder a chance, simples assim. Com base nisso se você não curtiu, não perca tempo sendo simpática, pois o danado vai correr atrás abanando o rabinho até que ouça um belo não.

Resumo: é o mais típico comportamento masculino na noite. Muitos vão para o pior lado, se tornando completos babacas, outros para um lado melhor, caras engraçados que sabem fazer a mulher rir com facilidade e sem esforço. A maioria dos vira-latas nunca teve namorada ou um relacionamento mais sério, nas redes sociais adora dizer como gosta da vida de solteiro, cantam euforicamente “sou praieiro, sou guerreiro”, e por aí vai…Quem tem medo do lobo mau? Não, lobos não são necessariamente maus!

Comportamento na balada: O lobo está no topo da cadeia dentre todos da “cachorrada”. São calmos, educados, chama pouco à atenção pelo comportamento.

Bebidas: vodkas gringas com suco, água e espumante/champanhe. Ao contrário do vira-lata, dificilmente o Lobo bebe para ficar “doidão” rápido. Lobos bebem moderadamente e sabem seus limites, para isso sabem a hora de beber água e/ou parar com tudo.

Abordagem: O Lobo não tem pressa como seu amigo vira-lata. Gosta de reconhecer o território e principalmente observar a mulherada. É difícil o Lobo partir ao ataque logo cedo. Quando aborda, irá chamar para conversar de uma forma tranquila (porém sempre bem-humorado), quase tão parecida quanto o amigo cão sem dona, mas ao contrário desse, o Lobo já faz o contato físico ao longo da conversa, pegando na mão e até mesmo apenas com o olhar.

Cuidados: É difícil “não gostar” de um, a menos que a atração física seja zero. Se você não gostou, apenas diga que foi um prazer conhecê-lo e que você vai voltar para onde estava que a maioria irá entender o recado.

Resumo: Se tornar um Lobo é fruto da experiência, tanto nas baladas quanto com relacionamentos passados. É saber se comportar na noite e conversar com as mulheres sem esforço. Mas fica uma dica final: tem muito Husky Siberiano querendo se passar por Lobo!
Bom, para finalizar gostaria de deixar claro que existem outros tipos de “cães” baladas/noitadas afora, mas me foquei apenas em três principais tipos.

E lembrem-se: No fim, todo cachorro adora que coloquem uma coleira e o chamem para passear!

Comentários