Esta foto é sua?

A vida segue e os babacas passam

Parece que esse virou o lema das amigas depois que a Ju terminou o namoro dela: a vida segue e os babacas passam. Foi a terceira amiga a ficar solteira só num intervalo de dois meses, restando do nosso grupinho apenas a Ana Paula com namorado.

Os três términos foram traumáticos, com cagadas seguidas dos ex e algumas meninas conhecidas vindo nos contar sobre noites em motéis e tardes de sexo como quem contam vitória depois da goleada do time no clássico. Cagadas homéricas que poderiam facilmente ser listadas num livro de “como ser um péssimo namorado”.

Fomos ficando putas, bestas com as situações criadas e começamos a cultivar um sentimento de que não havia hora melhor pra isso ter acontecido. Estranho, eu sei, mas era a realidade. Estávamos vivas ainda, mesmo depois de toda a merda derramada do penico. E, convenhamos, não foi por falta de tentativa em nos acertamos com os ditos cujos.

Quando a Lê contou que tava solteira, com um misto de raiva e prazer, foi logo dizendo que tinha certeza da identidade da “outra”. Só ela foi trocada. Dois dias depois do fim o ex já tinha assumido o relacionamento com a menina que ela sempre tinha desconfiado. Ora, veja só! Uma coincidência que nem cartomante com cola do facebook conseguiria explicar o contrário.

Eu e a Ju fomos vítimas do Tempo. Depois que a família começa a fazer piadas sobre casamento, os homens surtam. Bons, nosso estado civil continua sendo “solteira”. E mesmo não agorando o relacionamento da Paula, continuávamos com o mantra “a vida segue e os babacas passam”.

Apoiando uma à outra, fomos descobrindo que é mais fácil carregar uma dor e se recuperar quando se tem amigos para dividir os fardos e beber junto. Os fardinhos (risos). Guardamos o que foi bom, jogamos fora qualquer rancor e fomos em frente. E nem mesmo quando a Ju ensaiou reatar o namoro nós dissemos algo. Demos força, porque se sabe que é preciso ir até o final por um Amor.

Não deu certo.

Hoje recebemos a notícia de que a Ana Paula vai casar. A Lê soltou “quem comeu, comeu” e a nova noiva começou a rir do deboche; o Marcos foi o primeiro e único cara dela. É, um pouco triste por um lado. Queria que ela tivesse tido outros até pra poder saber o que é sexo de fato. Ela, pelo menos, diz que o noivo a come bem.

Ainda assim, serviu como um pouco de alento para nós, sabia? Ver alguém ter uma certeza tão bonita de ficar ao lado de uma pessoa – e para uma Vida inteira – é lindo demais. Te juro, nós acreditamos no Amor, só não queremos mais perder tempo sendo iludidas por aí. Sinceridade sempre contará pontos. Nem que seja só pra dizer “eu só quero te levar pra cama”.

É melhor, entende? Sejamos claros e vamos tocando o barco. Uma hora a gente encontra um porto seguro pra jogar âncora. Enquanto isso, deixa o coração ir navegando.

Comentários