E se tu viesse me ver hoje à noitinha? Esta foto é sua?

E se tu viesse me ver hoje à noitinha? [+18]

E se tu viesse me ver hoje à noitinha? Assim, sem muita conversa, sem muita expectativa dos dias que ainda vão passar. Só viesse ser hospede aqui no meu coração – acredite, faz sol aqui dentro. Mas viesse sorrindo. Pois um sorriso custa tão pouco. E o amor, hoje, se faz tão raro.

Vem cá…

Pode vir de roupa, eu tiro. Pode vir pulando, te seguro. Pode vir sonhando, te faço coragem. Pode vir sorrindo, me encorajo a rir contigo. Pode vir pra ser toda minha, não vou te ajuizar. Pode vir de coração aberto, fazemos primavera.

Hoje te quero minha puta, mas, por favor, não vá embora pela manhã, fica aqui comigo. De rosto, e coração, colado. Acorda e faz café comigo? Me beija como se ainda fosse noite? Deixa eu te comer na pia da cozinha?

Fecha os teus olhos, me deixa colorir o coração que você trouxe. Me diz teus desejos, quero realizar todos. Cola teu rosto frio ao meu. Desliza em mim, me pega, me encara, faz barulho, mostra que essa bundinha ainda sabe se distrair nas nossas aventuras.

E se, de volta à cama, eu te prendesse toda nos meus braços?

Abre as pernas. Me prende nelas. Não me deixa sair. Segura o meu ombro, me joga na cama, sobe em mim e esquece do peso do mundo. Deixa eu te conduzir, deixa eu brincar com teu pescoço e mostrar que neles beijos se cabem mil. Deixa eu morder tua orelha e falar palavras de arrepio pertinho do teu ouvido. Puta. Cachorra. Safada. Se entrega, depois eu te devolvo…

E se, ainda cama, eu te roubasse toda pra mim?

Deita comigo, deixa eu brincar com a tua boca; ouvir o eco dos teus passos indo à cozinha; ver teu riso de alívio; sentir a tua mão na minha. Me acarinha as costas, some comigo no fim de semana, deixa nossa boca rimar, me suja de amor, canta comigo no chuveiro, me deixa cheiro de café no beijo de bom dia.

Ah, esse momento é nosso, tão nosso, que nele vamos ser o que a gente quiser. Vamos fazer o que nos torne euforia. Esse é um filme estrelado e dirigido por nós. Vamos nos amar e nos acabar no mesmo tom.

Mas, por favor, antes de ir cola o teu peito contra o meu, me deixa com sensação de pôr-do-sol e sorri. Pra mim. Pro mundo. Me deixa dividir um pedaço do meu nublado, pois, estou gostando de você, e só de falar isso já me lembro da delícia que é ser vizinho do melhor sentimento do mundo.

Te espero aqui hoje à noitinha, gostosa.

Comentários