Esta foto é sua?

Traz sua boca aqui para eu ver uma coisa?

Não faz assim. Não joga esse cabelo atrás das orelhas desse jeito. Você sabe como eu fico, né? Ou vai me dizer que não? Vem aqui pertinho para eu te mostrar um lugar bom de ficar. Aqui tem um abraço quentinho para os dias frios e gostoso o bastante para descansar no calor.

Já passou, agora está tudo bem. A dor acabou e o seu passado lá mesmo ficou.
Não precisa mais se preocupar se vai sofrer. Comigo não tem dia ruim, dia ruim é não ter você comigo.

Ok, ok, vou mais devagar. Vai, pega essa almofada para se apoiar e me conta do seu dia. Vamos nos sentar aqui de indiozinho. Quero te ouvir contar. Mas por favor, não me puna por não conseguir olhar nos seus olhos enquanto fala. Te ouço feito refrão de música e percorro com o olhar o desenho da sua boca. Falando nisso, vem aqui para eu ver uma coisa nela?

Tá, tá, tudo bem, eu já entendi. É que também, pudera, como que eu vou me concentrar tendo este exemplar bom do mundo na minha frente como você é? Como me pedir para ter calma se o que tenho é vontade de me jogar nos seus braços e dizer o quanto te esperei chegar?

Dá para me entender, né? Dá para se colocar no meu lugar. Encosta essa cabeça aqui no meu peito e ouve o meu coração te contar o que a minha voz não deixa falar. Eu me denuncio: até tudo mudar você era uma estranha na minha vida. É, verdade. É que do mesmo jeito que você, eu também tinha medo de sofrer, mas alguma coisa mudou e hoje eu te vejo como um sonho bom, melhor ainda se for para acordar e te ver ao meu lado.

Traz aqui sua boca para eu ver uma coisa? Não faz assim. Não faz assim comigo. Não me coloca de castigo sem poder encostar meu rosto no seu para que sinta minha pele estremecer. Eu bem que gostaria de ser mais forte e resistir ao ver as alças da sua blusinha acomodadas em seus ombros, mas é que elas ficariam tão mais confortáveis no chão ao lado da minha cama. E aí eu te ouço falar mas te sinto deitada comigo.

Que sorte a do seu perfume em ficar o dia inteiro beijando a sua pele no meu lugar.

Comentários