Vídeo incrível mostra que crianças não possuem preconceitos Esta foto é sua?

Vídeo incrível mostra que crianças não possuem preconceitos

Vamos falar sobre algo que vale a pena ser debatido? O preconceito.

Calma, não venho dá lição de moral e muito menos desdobrar dicas de como tornar o mundo um lugar mais fácil de ser vivido. Apenas instigar algumas coisas que já existem dentro de nós, como sempre tento fazer.

Seguinte, o vídeo a seguir – que tem menos de dois minutos – foi feito pela Associação Noémi, que realiza seus trabalhos sem fins lucrativos na França. Intitulado “The Eyes of a Child” (Os Olhos de uma Criança, em tradução livre), o vídeo traz crianças e um adultos, a maioria pais e filhos, para ficarem sentados separados por uma pequena parede e são apresentados a um vídeo em que terão que reproduzir algumas caretas, mas algo muda quando…

https://www.youtube.com/watch?v=WB9UvjnYO90

Com a própria descrição do vídeo sugere:

A Associação Noemi quer mudar a forma como a sociedade olha para as pessoas com deficiências múltiplas. Sua missão? Para melhorar suas vidas diárias. A associação quer que a gente olhe para essas pessoas de uma forma positiva e de respeitar a sua dignidade, ao trazer-lhes alegria e felicidade.

É preciso dizer mais alguma coisa com esse tapa de luva?  Bom, online slots acho que não preciso dizer mais nada e nem vir com uma frase impactante, apenas deixar essa ideia que vale a pena ser debatida assim como inúmeras outras. Vamos ver mais o mundo sob a ótica das crianças. Ah, não é a primeira que trago os aprendizados que as crianças nos compartilham. Já falei aqui sobre a indagação de uma criança ao questionar sobre comer os animais, outra criança que vive com os animais na África e mostra que podemos conviver tranquilamente com eles, um pequeno garotinho compartilhando 20 coisas que deveríamos dizer mais vezes, o que um divórcio acarreta na vida de uma criança  e duas crianças provando que para fazer algo genuíno e com amor, basta apenas querer.

Para finalizar, gostaria de agradecer às duas leitoras, a Gabriela Bronzeri e a Iara Beloti por terem me apresentado esse vídeo e que resultou neste post de maneira agregadora e gentil. Obrigado meninas!

Comentários