A verdade por trás de uma pessoa fria

Observar o que leva as pessoas a ser quem são é uma das coisas mais curiosas da vida, e eu sempre gostei de matar meu tempo com isso. Na maioria das vezes não encontro qualquer resposta: O chato é chato porque gosta de sê-lo e ponto final. Algumas coisas simplesmente são, e não se pode querer mudá-las ou mesmo compreendê-las.

Vez ou outra esse tipo de reflexão sem sentido me leva a algum lugar, como, por exemplo, enxergar a autodefesa por detrás da arrogância e a solidão por detrás da frieza. Eu não me canso de repetir: autossuficiência é afrodisíaca. Nós gostamos de estar perto de pessoas que se bastam. Agem como se não precisassem de nada nem ninguém, e isso é fascinante.

É preciso, entretanto, enxergar além: ninguém é tão autossuficiente a ponto de não precisar de amor. O amor não é dispensável nem pelo mais autêntico dos seres. Todos nós dependemos dele. Não importa se você não gosta de abraços ou declarações: Existem muitas formas de amor, inclusive as omissas, e você, decerto, precisa de alguma delas.

A verdade por detrás da frieza é uma necessidade descomunal de amor. Uma necessidade tão grande que não consegue se revelar – fica subentendida, por medo de represálias. Por medo de não saber como manifestar-se. Por medo, na verdade, de perder de uma vez só, perde-se aos pouquinhos. A frieza é a autodefesa da necessidade exagerada.

É difícil e até arriscado falar com tanto desprendimento dos sentimentos alheios – ou da falta deles. Mas é fácil reparar: Pessoas frias não sofrem da ausência de sentimentos. Elas apenas os suprimem, os guardam tão bem guardados que não conseguem compartilhá-los. E, em meio à falta de habilidade para sentir e amar, vem a solidão. Solidão que essas pessoas fazem questão de degustar – preferem o inferno da abstinência de amor, a terem que livrar-se de suas armaduras, de seus medos, de seus escudos, tamanha a dor que o desabrochar dos sentimentos lhes causa.

Frieza não é falta e nem ausência. É excesso: de amor e de intensidade. A frieza só espera um abraço espontâneo, um sentimento que transborde pelos olhos e não precise de palavras, para que possa permanecer ali – intacto – em uma redoma de monossílabos vestidos de medo, sem que se tenha que pagar o preço com a solidão dos que pensam que não sabem amar. Mas sabem. Acredite – Eles sabem.

Comentar sobre A verdade por trás de uma pessoa fria

7 comentários abaixo sobre A verdade por trás de uma pessoa fria

  • Avatar Bruno disse:

    Obrigado

  • Avatar bhi disse:

    conheço uma pessoa muita fria emocionalmente falando,ela não se acha fria,se consídera sincero.mas existe muita diferença quanto à essas duas coisas,se você não mandar msg ela n manda..se n da boa noite,tbm ñ da .. coisas e tal,ela já teve depressão é se tratou mas diz q não tem amigos,vive muito distante da realidade da vida

  • Avatar Vanessa disse:

    O difícil é a abrir o coração para alguém que fecha . Amar sem receber.
    Uma hora você para de ser doar para a pessoa fria.

    • Avatar Alexandra disse:

      Verdade… Conheci uma pessoa complicada que diz que é fria mas no entanto quando está mais “alegre” foi capaz de abraçar 2x espontâneamente. Depois disso diz que detesta dar show na rua com a demonstração de carinho em público mas deu esses 2 abraços exatamente à frente da multidão. Diz também que detesta coisas lamechas mas admitiu algumas vezes que gostou de ouvir certas palavras.

      No final de tudo, me pergunto: ele é uma pessoa fria ou simplesmente confusa?

  • Avatar Paulo disse:

    Pesquisando no Google sobre o assunto, encontrei esse artigo, e ele define bem o que eu precisava saber. Convivo com pessoas maravilhosas, porém que são incapazes de demonstrar qualquer forma de sentimento. Para vcs terem uma idéia, eu aceitei trabalhar com eles, ganhando muuuito menos do que o básico para me manter, mudando de residência (agora eu pago aluguel), fazendo o que eu nunca imaginei fazer só para estar perto deles, e nada! Minhas intenções não são percebidas ou simplesmente não são consideradas. O pior, para mim, ser tratado com empregado apenas, sendo que a minha intenção nunca foi essa. Hoje, exatamente hoje, eu decidi desistir de qualquer demonstração de afeto e ficar na minha, mesmo gostando muuito deles. Procurei algo que pudesse me confortar, pois eu sou bastante sentimental, e encontrei esse artigo. Não sei se vale apena tentar algo mais, já que são indevassaveis. É isso. Precisava desabafar.

  • Avatar Heiser disse:

    A culpa é um sentimento fraco, e o amor eu mijo em cima, abraçar é a puta que pariu.

  • Avatar Anna disse:

    Mas n tenho medo de mostrar afeto ou me machucar…acontece qe n sinto necessidade…de ter amigos ou ter relacionamentos….n sinto nada….