Esta foto é sua?

Sempre há alguém que nos marca para toda a vida

Há aquela pessoa que marca nossas vidas. A que nos ensina algo muito valioso sobre os mistérios existenciais. A que nos mostra como é bom amar a nós mesmos. A que nos mostra como é bom acordo cedinho para ver o nascer do sol em cima da serra. A que nos mostra como é importante observar os detalhes, as sutilezas nas relações. A que nos mostra nosso lado mais obscuro e nos faz não querer voltar a esse lugar e trabalhar essas emoções distorcidas.

Essas pessoas nem sempre ficam para sempre ao nosso lado. Às vezes, elas ficam anos, meses, algumas semanas ou mesmo, apenas um dia em uma estação de metrô que ao olhar ela mostrou como é bom sorrir para as pessoas desconhecidas na rua. Percebi que aquele sorriso mudou meu dia, e desde então, quando posso, o espalho para outras pessoas desconhecidas.

Dentre todas essas pessoas, há sempre alguém especial. Alguém que você achou que fosse apenas um sorriso desconhecido, mas que se transformou em um café, um cinema, uma viagem, planos, namoro e até um casamento, a soma de duas vidas para gerar uma nova. Nem sempre essa ordem é seguida, e isso é o interessante. Cada relacionamento é único, cada troca de experiência é única. E cada pessoa pode chegar e ir a hora que for.

Mas pessoas são passageiras. Passageiras no trem da vida e passageiras na nossa vida. Não espere que alguém fique com você até o fim dos dias, não espere que ela não se canse disso, que ela não queira alçar novos voos sem você. O início e o término de relações não são previstos, apenas acontecem. Num belo dia, o que era não é mais, o que era um vira dois novamente. Só que agora, cada um desses dois leva consigo um pedaço do outro. Nós somos formados por retalhos de tudo que vivemos com outras pessoas. Somos uma colcha de retalhos, prestes a inserir mais um para colorir ainda mais o que já está cheio de cores.

E é claro, que todo término mexe com a gente, muda o que somos. Corações ficam dilacerados, parece que algo foi arrancado de nós sem nossa permissão. Mas não se assuste. Há términos que são como um pôr do sol, em que nos despedimos e sentimos gratidão por ter existido. E há términos que são como um cobertor no frio, tudo fica melhor, nos sentimos melhores e mais leves.

No final, toda relação, por menor que seja vai modificar algo em nós. Experimente a vida, sem medo de se machucar e de ser feliz, as duas coisas são inevitáveis quando escolhemos viver.

Comentários